Shadevenne Alta Costura inaugura novo espaço em São Paulo

31 março 2017 |


O evento contou com show da Família Lima

Na  última  quinta-feira (30) aconteceu  a  inauguração  do novo espaço da  Shadevenne  Alta Costura,  na  região  da  Mooca,  em  São  Paulo. 

A  proprietária  Aline Benfica recebeu  clientes, imprensa  e  artistas com  um  belo  coquetel ao som da Familia Lima. Entre  os  artistas  convidados  marcaram presença a atriz e repórter Cacau Colucci ,a atriz  Lena  Roque ,Aritana Maroni ex-Master  Chef, Leonora Aquilla repórter ,William  Herculano Mister  Brasil  2016 ,o  designer  de  joias Anderson  Neves

O evento ainda contou com o apoio de Cida  Simões ,M House, Dibeta Doces e Bolos ,Elaine Soares lembranças ,Alabá  Deocorações e Tanaka Produções.   

História da Marca Shadevenne 

Shadevenne Alta Costura, surgiu do encontro de duas almas apaixonadas, na França.

Angêlo Benfica, em sua viagem de férias à Paris, conheceu o amor de sua vida, uma jovem e maravilhosa modelista, Charlotte Shadevenne, que tinha seu ateliê, localizado na Avenida Montaigne. Angêlo passou dias apaixonantes de férias ao lado de sua amada, e próximo de sua data de despedida, fez-lhe o pedido de casamento, juntamente com a proposta de trazer-lhe para o Brasil.

Charlotte tinha as madames mais importantes de toda Paris, como suas clientes assíduas, e não podia deixar-lhes de uma hora para outra, o que prolongou o sofrimento de Angêlo, por mais dois anos.

Passado esse período, Charlotte finalmente se rendeu ao amor, e seu amado a foi buscar lhe para se unirem em sagrado matrimônio. Charlotte fez seu vestido de noiva com suas próprias e delicadas mãos, utilizando as mais lindas e macias rendas Chantilly, e mini pérolas, trazidas em sua mala, para o Brasil.

Os netos desse lindo casal, sabendo da belíssima estória de seus avós, após a morte de Charlotte, em 2007, tomaram a iniciativa de eternizar o dom nato de suas raízes e a beleza da Alta Costura, fundando então, em 2009 o Ateliê Shadevenne Alta Costura, que preza pela continuidade da elegância e profissionalismo Francês, e remete toda elegância e qualidade das mais conhecidas Maisons Francesas. 

Shadevenne Alta Costura
Av Paes de Barros n 2452 Parque da Mooca
 São Paulo – SP
 Tel: (11) 3582-1290 / 3582-1294

Veja os famosos que compareceram à inauguração:




Fotos: Marcelo Moreira

'Memórias de um Pequeno Grande Príncipe' estreia em abril no Laura Alvim

30 março 2017 |


O espetáculo "Memórias de um Pequeno Grande Príncipe", com livre adaptação, texto e direção de Rachel Palmeirim, passou por rígidos critérios de seleção e foi contemplado com o agendamento, de todos os sábados e domingos de abril, no horário das 17h, na Teatro da Casa de Cultura Laura Alvim. Será a primeira vez que o grupo niteroiense "Artecorpo Teatro e Cia, já bastante conhecido na município vizinho, irá apresentar-se na cidade do Rio de Janeiro. Outra boa novidade é o protagonismo do espetáculo que foi  entregue a um boneco especialmente criado por Márcio Newlands, um craque na arte.

Nesta releitura do livro de Antoine Exupèry, com direção de manipulação de bonecos do premiado Marcio Nascimento, os atores pesquisaram  técnicas do teatro de animação para dar  vida ao protagonista, um boneco articulado com 75 cm de altura. Ele surge a partir do instante em que um avião cai no deserto. O aviador  é um homem sisudo, estressado, e era preciso um choque para organizar seus pensamentos. Com isso, sua memória traz à tona os personagens simbólicos de sua vida: a Rosa, a Serpente, a Raposa, o Guarda-Chaves e o próprio Pequeno Príncipe

Toda a história é permeada com músicas e sonoplastia ao vivo. No elenco: Rachel Palmeirim, Alexandre Vollú, Eliana Lugatti, Cida Palmeirim, Renato Badeco e Rafael Tereso. A iluminação é de Ricardo Lyra Jr., figurinos de Leonam Thurler e cenário de Gabriel Naegele. Preparação corporal Fernando Azevedo.


"O Pequeno Príncipe" na versão do grupo niteroiense

Possuindo em mãos uma história com inúmeras metáforas, percebemos que havia muito a ser explorado. Decidimos materializar em cena, primeiramente, o caos que se torna a mente de um aviador incompreendido que, após uma pane, cai num deserto, lugar onde está sozinho, com seus pensamentos e reflexões. Com isso, o cenário retrata o interior de um avião destroçado, que acabou de cair.
           
O fato inexplicável de um menino (criança) surgir sozinho no deserto, nos fez optar pelo uso de um boneco de manipulaçãodireta que surge a partir da confusão mental da cabeça do aviador. Através do diálogo acreditamos colocar em jogo a ideia de que Pequeno Príncipe é o alter ego do piloto, que, com a batida, trouxe à tona o menino que havia dentro dele e que estava adormecido. Essa proposta torna a história uma análise psicológica da vida do aviador, passando por momentos amorosos, divinos, de compreensão de quem ele é, e para onde vai. A cena final do espetáculo esclarecerá para o público essa dualidade.

Os personagens simbólicos, materializados no livro como Rosa, Serpente, Raposa e Guarda Chaves, surgirão como em um sonho, sem a necessidade de compreensão de como apareceram e para onde vão. Cada qual trará consigo instantes importantes da vida do aviador. A Rosa, simbolizando o amor e suas dificuldades de compreensão, a Serpente, a superioridade de um ser divino, capaz de retirar uma vida; a Raposa, a amizade, o cuidado, o carinho, que surge através de gestos, e não de palavras (uso de máscara inteira); e o Guarda Chaves, o caos da população.

Além destes personagens o Pequeno Príncipe viaja “pelo universo” na intenção de encontrar seu lugar. Esbarra no caminho com diversas criaturas que não lhe agradam. Estes personagens serão retratados através de três técnicas teatrais que se unificam para provocar surpresa, estranhamento e reflexão: a animação das malas, a sombra e as máscaras.

Motivações do  grupo para a montagem de “Memórias de um Pequeno Grande Príncipe”

O tempo acelerado em que estamos vivendo não nos permite uma reflexão a respeito de nossas vidas, nossos atos e atitudes. Muitas vezes estrangulamos nossas personalidades, nossos anseios, em troca de algo que a sociedade nos exige. Para isso, muitas vezes é preciso um baque, uma “queda de avião” para estacionar o tempo e nos fazer pensar.

Esse “baque” por vezes retira as “armaduras” criadas ano após ano, e, no caso do espetáculo, ocorre num deserto, local de plena solidão, mas poderíamos transpor esse fato para cada indivíduo refletir de que forma se livrar dessa “casca” a que somos impostos.

O príncipe surge nessa história não como referência à realeza, mas como simbolismo daquilo que temos de mais bonito (dentro e fora).  E, no caso do espetáculo, isso vem da criança, do pequeno príncipe. A peça deixará um rastro para pensarmos onde e como encontramos esse ser dentro de nós, como trazê-lo à tona, percebendo que muitas vezes o que temos de mais singelo e puro está obscuro e trancado em nosso interior.

A literatura repleta de metáforas desse autor francês ilustra essas reflexões e traz junto valores e filosofias sobre a amizade, o amor e as percepções de mundo.

"Memórias de um Pequeno Grande Príncipe" com o grupo ARTECORPO TEATRO E CIA.
Local: Teatro Laura Alvim – Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema – RJ
Casa de Cultura Laura Alvim
Dias:  08 a 30 abril (sábados e domingos)
Horário: 17h
Texto e adaptação - Rachel Palmeirim
Direção de manipulação de bonecos - Márcio Nascimento
Criação do boneco (protagonista) - Marcio Newlands
Ingressos: R$30,00 (inteira) R$15,00 (meia)
A venda na bilheteria do teatro ou www.ingressorápido.com.br
Teatro: (21) 2332 2016 - Artecorpo Teatro e Cia: 98680-7880    2722-5091      98875-9899
 Whatsapp:   97216-3330  


Foto: Divulgação


Para comemorar o aniversário de 28 anos, o Memorial traz de volta a magia do programa infantil de TV que emociona diferentes gerações.

 O Memorial da América Latina e o Governo do Estado de São Paulo inauguram no dia 31 de março (sexta-feira), às 19h, a exposição Rá-Tim-Bum, o Castelo – megaprodução que promete ser uma das grandes atrações do calendário cultural e de entretenimento de São Paulo. O projeto tem como parceiros a TV Cultura, mantida pela Fundação Padre Anchieta, que produziu e exibiu uma das séries de maior sucesso da televisão brasileira, o Castelo Rá-Tim-Bum, e a Caselúdico, empresa referência na montagem de grandes exposições e responsável por toda a cenografia.

 O grande diferencial da exposição no Memorial é que o público terá a chance de entrar num Castelo idêntico ao da série, construído numa área de 700m² anexa ao Pavilhão da Criatividade.

 O espaço reproduz com o máximo de fidelidade o desenho original do seriado, desde o lado externo - porta, torre com 15 metros de altura, bandeira tremulando, janelas, colunas e catavento – até a cenografia dos ambientes interiores, proporcionando verdadeira experiência, em que o público se sentirá no castelo da TV.

 O presidente do Memorial, Irineu Ferraz, acredita que este é um projeto inovador e lembra que o Memorial tem expertise na montagem de grandes atrações, como a Vila do Chaves, que levou mais de 200 mil pessoas à Barra Funda em 2016. Por isso, Ferraz aposta que o Castelo atrairá visitantes de outros estados e do exterior.

Além da atração em si – acrescenta o dirigente –, “a preocupação do Memorial era trazer uma grande exposição acessível para todos, com preço popular, e isso só foi possível com o apoio de parceiros na realização do evento Trazemos o Castelo para comemorar o aniversário de 28 anos do Memorial da América Latina e pela relação de afeto dos fãs com o seriado, assim teremos uma exposição grandiosa do tamanho que o público merece”.

Visitação/Ingressos

A exposição ficará aberta ao público das 9h às 20h, de terça-feira a sexta-feira, e das 9h às 22h aos sábados, domingos e feriados.

Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Memorial, que fica no Espaço Gabo – Praça da Sombra. O funcionamento é de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 20h. Acesso pelos portões 8 e 9.

Também é possível adquirir os convites pelo site www.ratimbumocastelo.com.br , com direito de escolha do dia e horário da visita. 

História

Considerado um dos grandes sucessos da TV Cultura, o Castelo Rá-Tim-Bum foi produzido e exibido pela emissora entre 1994 e 1997. Com 90 episódios, a série é considerada paradigma na programação infantil da televisão brasileira. Ganhou o prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) em 1994 e virou filme em 1999. A arquitetura da maquete do Castelo foi inspirada no estilo modernista do artista catalão Antoni Gaudí, que projetou a Basílica da Sagrada Família, uma das atrações turísticas de Barcelona.


O Memorial

O Memorial da América Latina é uma Fundação de Direito Público, sem fins lucrativos, mantida pelo Governo do Estado de São Paulo. Inaugurado em 18 de março de 1989, na cidade de São Paulo, o Memorial foi concebido para promover a integração cultural e política dos povos de língua portuguesa e hispano-americana como sonhava o ex-governador André Franco Montoro. Hoje, é referência na realização de atrações e eventos que reúnem os grandes nomes do cenário artístico, político, cultural e acadêmico do país. www.memorial.org.br

TV Cultura

Inaugurada em 15 de junho de 1969, na cidade de São Paulo, a TV Cultura é o principal veículo de comunicação da Fundação Padre Anchieta. Modelo de emissora pública, o canal é comprometido em oferecer programação qualificada, atrativa, crítica, democrática e inovadora para os mais diversos públicos e faixas etárias. A TV Cultura é reconhecida pela criação de programas infantis inovadores, como Vila SésamoCastelo Rá-Tim-Bum e Cocoricó, e de programas jornalísticos e culturais de primeira linha, que fizeram e ainda fazem história, como Roda Viva e Metrópolis. Em 47 anos, foi agraciada com mais de 400 prêmios nacionais e internacionais. www.tvcultura.com.br 

Exposição: Rá-Tim-Bum, o Castelo
Memorial da América Latina - Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Metrô Barra Funda
Abertura para o público: dia 31/3, às 19h
De terça a sexta-feira, das 9h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 9h às 22h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)
Bilheterias: Espaço Gabo e www.ratimbumocastelo.com.br
Estacionamentos: portões 4, 8 e 15
Recomenda-se transporte público até o Terminal Barra Funda


Fotos: Daniela Agostini

‘Marcia Peltier Entrevista’ Paulo Knauss na CNT

27 março 2017 |


O programa Marcia Peltier Entrevista da próxima terça-feira ,28 de março ,reapresenta a conversa com o diretor do Museu Histórico Nacional,o historiador,pesquisador e professor Paulo Knauss.

Ele também é o organizador do livro ‘’Nos Tempos da Guanabara:1960-1975,Uma História Visual’’. 

Durante a entrevista ele fala como vê o Rio de Janeiro:
‘’O Rio tem uma densidade cultural,histórica muito grande. Ao mesmo tempo que convivemos com o moderno,nos deparamos ao andar pela cidade com uma igreja colonial.Isso torna o Rio especial’’,afirma.

O que você destacaria?
‘’Eu digo que o circuito de várias igrejas coloniais no Centro do Rio é um dos mais ricos do mundo.Todas elas impressionam pela beleza,pelo charme.Parece que a gente é suspenso pelo tempo’’,diz.

E o que acha das obras novas que mexeram com a paisagem do  Centro?
‘’Acho que o Rio passou a ter outras opções a céu aberto que não sejam só as praias. Agora temos o calçadão do Centro,a Orla Conde,oMuseu do Amanhã...As pessoas podem passear também pelo Museu Histórico Nacional,a Praça Mauá,a Praça XV....Agora ,por exemplo,temos os skatistas na Praça XV.A cidade vai perceber mais e ocupar estes espaços.O Centro está sendo requalificado’’,comenta.

E qual a ideia do livro que você organizou,’’Nos Tempos da Guanabara...’’?
“A ideia é mostrar um lado pouco conhecido da nossa história:as fotografias oficiais de governo, para contar uma parte da história do Estado da Guanabara,criado em 1960 depois que a capital saiu do Rio para Brasília e terminou em 1975 com a fusão’’,revela.

No programa,Paulo fala ainda do projeto que vai criar um acervo em realidade virtual das famosas carruagens da época da monarquia brasileira e que estão expostas no Museu Histórico Nacional.

Você não pode perder Paulo Knauss no Marcia Peltier Entrevista,direto do Belmond Copacabana Palace na próxima terça,às 23h na CNT.

Foto: Divulgação

‘Marcia Peltier Entrevista’ Guto Nobre na Rádio JB FM

|


O Programa Marcia Peltier Entrevista na rádio JB FM  traz  entre os dias 27 de março e dois de abril,  a  conversa com o diretor de TV,roteirista e pesquisador Guto Nobre,organizador do projeto ‘’O Rio Passa Por Aqui’’,que promove caminhadas por locais de importância para o patrimônio histórico e arquitetônico do Centro do Rio de Janeiro.

Durante a entrevista  com Marcia Peltier, ele fala sobre como surgiu a ideia do ‘’ O Rio Passa Por Aqui’’,explica porque o Centro Histórico do Rio é considerado um ‘’museu a céu aberto’’,destaca o patrimônio da zona portuária da cidade, dá várias dicas de passeios culturais onde se pode vivenciar a história da cidade e conta o incrível caso  do’’milagre’’ da bala de canhão que atingiu uma igreja do Rio e não explodiu.


 Você não pode perder  Guto Nobre  no programa Marcia Peltier Entrevista na  rádio JB FM  (99.9).  

De segunda à sexta,pela manhã às 7h50,dentro do Painel JB e no  sábado e no domingo às 10h.

E à noite,às 18h15,dentro do Painel JB e no sábado e no domingo  às 18h.


Fotos: Divulgação

Novidades de Paris na primeira edição do Giro Moda em Niterói

|


Encontro traz informações sobre tendências de comportamento, consumo e Inverno 2018

A primeira edição do Giro Moda em 2017 acontece amanhã, 28, às 9h30. O evento é realizado pelo Sistema FIRJAN e reúne empresários e profissionais do setor para apresentar uma análise sobre a Première Vision, em Paris - a maior feira do setor têxtil e de confecção no mundo reunindo os melhores fabricantes -, que marca o início de lançamentos mundiais de moda. O encontro será na Representação Regional FIRJAN/CIRJ Leste Fluminense, em Niterói. A ação conta com parceria do Sindicato da Indústria de Alfaiataria e de Confecção de Roupas de Homem de Niterói(Sindiconf).

Os participantes receberão informações sobre direcionamentos de macrotendências de comportamento e consumo, e um resumo das tendências de moda do inverno 2018, visto nas principais semanas de moda do mundo.

Nesta edição também será apresentada uma pesquisa de uma das feiras mais importantes de produto acabado, a Pure London, que marca uma série de ações que acontecem na cidade relacionadas ao setor que envolvem empresas, instituições e escolas que atendem a cadeia da moda.

A iniciativa, que acontece desde 2006, faz parte do Programa Indústria Criativa do Sistema FIRJAN, que estimula a realização de negócios e o desenvolvimento da economia criativa no Rio de Janeiro. O Programa ajuda a indústria clássica a integrar as competências criativas para gerar novos valores para seus negócios, além de oferecer representatividade empresarial, educação profissional e tecnologia para diversos setores criativos.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos telefones 0800 0231 231 ou pelo sitewww.firjan.com.br/eventos.  O encontro acontece na Rua Visconde de Uruguai, 535, 11º andar, no Centro.


Foto: Divulgação

Cantor Mombaça lança nova música

|



Foto: Divulgação

Bonecas da novela ´Carinha de Anjo´ estão entre lançamentos em feira de brinquedos

25 março 2017 |


Muita novidade aguarda o público na 34ª edição de uma Feira Internacional de Brinquedos, que acontece em São Paulo. 


Entre os lançamentos, estão as bonecas da novela “Carinha de Anjo”, do SBT. Tem as personagens Dulce Maria, Juju, Tia Perucas e irmã Fabiana. 



Foto: Internet

'Quem Indica o Quê' com Liliane Reis

|


QUEM? Liliane Reis.

OCUPAÇÃO: Apresentadora do programa “Estúdio Móvel”, exibido pela TV Brasil.

INDICA O QUÊ? O livro “O olho de lince”, do autor Guilherme Zarvos.

SUA OPINIÃO: Esse livro me tocou pela sua poesia e acidez gráfica, que nos transporta para a atmosfera do Cep 20000, movimento de poesia falada surgido do Rio de Janeiro. O livro poema ou poema livro é do escritor Guilherme Zarvos, poeta que puxou esse movimento surgido nos anos 90. O livro, na verdade, é longo poema, o Olho de Lince, todo costurado por rascunhos de ilustrações do seu diário de bolso. Gosto porque sua escrita dialoga com a poesia marginal, mas, sobretudo, porque “trai esta tradição marginal” e propõe uma nova literatura, rompendo a gramática e estabelecendo a poesia como território livre, de delírios fonéticos em fluxo.

Foto: Divulgação


Mara Maravilha faz show no Teatro da Livraria Cultura, em SP

|


'Quem Indica o Quê' - Márcia Peltier

|


QUEM?  Márcia Peltier.

OCUPAÇÃO: Jornalista e Apresentadora de TV.

INDICA O QUÊ? O livro “O efeito sombra”, dos autores Deepak Chopra, Marianne Willianson e Debbie Ford.



SUA OPINIÃO: O livro nos mostra como é importante entrarmos em contato com nosso lado sombrio, pois só assim chegaremos à verdadeira luz. Muitas vezes achamos que devemos negar esse lado obscuro e ao ignorá-lo só fazemos com que ele fique mais forte. Ao entrarmos em contato com o que pensamos ser o pior de nós mesmos, podemos refletir sobre ele e discernir quem realmente somos. 

Foto: Divulgação

Histórias Extraordinárias volta ao CCBB-Rio

|


Devido ao enorme sucesso de Histórias Extraordinárias, o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro programou duas sessões especiais do ciclo: no dia 27 de março, com O Duplo (O Horla), de Guy de Maupassant, e dia 24 de abril, com O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson. O ator Norival Rizzo apresenta a leitura dramatizada de março, adaptada para o palco e dirigida por Eduardo Tolentino de Araujo. A leitura acontece a partir das 18h30 e será seguida de debate mediado pela escritora Laura Erber.

O Médico e o Monstro, atração de abril, tem adaptação do dramaturgo Rodrigo de Roure, direção de Ana Kfouri e atuação de Orã Figueiredo.

Histórias Extraordinárias estreou em setembro passado e está levando mensalmente ao palco do CCBB clássicos da literatura fantástica e de terror, de domínio público, adaptados na forma de monólogos por dramaturgos do Rio e de São Paulo. Já foram apresentados O Poço e o Pêndulo, na versão de Heloisa Seixas; Viagem ao Centro da Terra, de JP Cuenca; Frankenstein, de Sérgio Roveri; A Cor que Caiu do Espaço, de Beatriz Carolina Gonçalves; Drácula, de Pedro Kosovski; A Guerra dos Mundos, de Daniela Pereira de Carvalho.
Os atores que já participaram do ciclo foram Zécarlos Machado, Pedro Brício, Guilherme Weber, Mariana Lima, Emílio de Mello, Juliana Galdino. Entre os diretores, estão Marco André Nunes, Marcio Abreu, e Roberto Alvim.

Contando com recursos de imagem e de som, as performances teatrais têm em média 40 minutos de duração, sendo sempre seguidas de debate. As sessões de Histórias Extraordinárias são gratuitas e as senhas devem ser retiradas a partir das 17h30, na bilheteria. O CCBB fica na Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel.: 21 3808-2020.

PARA ROTEIRO
Histórias Extraordinárias
Patrocínio: Banco do Brasil
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil
Idealização/Curadoria: Beatriz Carolina Gonçalves


27 MARÇO
O DUPLO (O HORLA)
Autor: Guy de Maupassant
Dramaturgia e Direção: Eduardo Tolentino de Araujo
Ator: Norival Rizzo
Mediação Debate: Laura Erber


24 ABRIL
O MÉDICO E O MONSTRO
Autor: Robert Louis Stevenson
Dramaturgia: Rodrigo de Roure
Direção: Ana Kfouri
Ator: Orã Figueiredo
Mediação Debate: Marcia Tiburi

Horário: 18h30 às 20h

Local: Teatro III / Centro Cultural Banco do Brasil
(Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel.: 21 3808-2020)
Classificação indicativa: 12 anos

ENTRADA FRANCA - mediante retirada de senha, distribuída com uma hora de antecedência.

Foto1: Divulgação
Foto2: Divulgação
Foto2: Karl Erik 

Fotos: Divulgação

'Quem indica o Quê' - Anna Pires

|


QUEM?  Anna Pires.

OCUPAÇÃO: Assessora de Imprensa, em São Paulo.

INDICA O QUÊ? O livro “Elis Regina - Nada será como antes”, do jornalista Julio Maria.


SUA OPINIÃO: É uma leitura deliciosa e mostra bem as mil facetas de uma mulher/menina que nunca se entendeu como mito. Talvez, por isso, tenha buscado tanto por amores, perfeição e imposição em sua carreira. Para mim, foi e é a maior cantora brasileira. 

Foto: Arquivo pessoal de Anna Pires 

Benedito Calixto é tema de palestra na Fundação Ema Klabin

|

                                                              Igreja de Santa Cecília em São Paulo 

Em sua fase religiosa propõe -se a discussão das obras de um dos maiores expoentes da pintura brasileira do início do século XX

No sábado, 1º de abril, às 11h, a Fundação Ema Klabin apresenta a palestra “Benedito Calixto e a Pintura Religiosa na Igreja de Santa Cecília”.

Nesse encontro a pesquisadora Karin Philippov analisará os aspectos históricos, religiosos e políticos do conjunto de pinturas realizadas pelo artista e historiador Benedito Calixto de Jesus, entre os anos de 1907 a 1917, e suas obras para a decoração da Igreja de Santa Cecília, localizada no centro da cidade de São Paulo.

Sobre a palestrante

Karin Philippov é formada em Artes pela UNESP. Doutora em História da Arte pelo IFCH-UNICAMP. Docente de História da Arte no Programa Universidade da Terceira Idade da UNICAMP. Pós-doutorado aprovado com início em 2017 na EFLCH – UNIFESP.
Palestra:  Benedito Calixto e a Pintura Religiosa na Igreja de Santa Cecília. – com Karin Philippov
Data: 1º de abril (sábado)
Horário: 11h às 13h
Valor: R$35,00
30 vagas
Informações e/ou inscrições pelo site: http://emaklabin.org.br/palestra-benedito-calixto-e-pintura-religiosa-na-igreja-de-santa-cecilia/  ou pelo tel: (11) 3897-3232
Local: Fundação Ema Klabin - Endereço:  Rua Portugal, 43, Jardim Europa, São Paulo 
Não há estacionamento no local


Foto: Divulgação