’Arena Chiqueiral’ completa 3 Anos

22 julho 2017 |


Centro de Lazer e Cultural Arena Chiqueiral Sotero Teixeira de Souza, em São Vicente (Terceiro Distrito de Araruama, no Rio de Janeiro), completou 3 anos no dia 13 de julho e hoje foi realizado um encontro com poetas, músicos e diversos convidados para marcar a data. Criado em homenagem ao poeta imortal Sotero Teixeira de Souza, 84 anos, residente em Arraial do Cabo e membro da Academia Cabista de Letras, o qual esteve presente acompanhado de sua família, o local foi idealizado pelo poeta Daniel de Mendonça Chaves e recebe, nos eventos que promove, agentes culturais, poetas, músicos, artistas e admiradores da proposta. Como o espaço vem ganhando amplitude, a esposa do Daniel, a professora Rojangela Clara da Costa Chaves, demonstra uma boa preocupação. “Daniel e eu amamos tudo isso aqui. Às vezes, quando paro e percebo a dimensão que a Arena está tomando, fico preocupada em preparar sempre o melhor. Ajudo bastante e envolvo outras pessoas, até ‘Amigos da Escola’. Muita gente colabora”, disse.



A Arena atrai e reúne pessoas, naturalmente. Uma dessas que apoia a ideia é o motorista Pedro Jorge Fernandes da Silva, também residente em São Vicente e amigo do Daniel. “Acho muito bacana. Ele resgata peças importantes para nosso Distrito. É maravilhoso termos espaços culturais como este! Sinceramente, para mim, Daniel é uma referência; ele tem prazer em mostrar todas essas riquezas culturais expostas aqui para os visitantes”, destacou.


Homenageado na Arena em fevereiro deste ano, o primeiro Locutor de Cabine da Rede Globo, o Radialista Ronaldo Cammarota, 78 anos, compareceu ao evento acompanhado de sua esposa, dona Maria Quadros. Desta vez, Cammarota recebeu mais uma homenagem. Como a Arena ganhou um novo cômodo que recebeu o nome “Espaço da Música e Poesia Maestro Ronaldo Cammarota”, o casal brindou a festa. Cantaram o Hino da Arena Chiqueiral, com letra da dona Maria e melodia do Cammarota e entoaram outras canções. O público aplaudiu a dupla, que emocionou a todos. Em sua análise sobre a iniciativa do Daniel, o Radialista expressou sua opinião. “Analiso a Arena como os versos do Hino. Aqui se encontra alegria, esperança e gente simples sincera. Desde que comecei em rádio e televisão e participei de corais, jamais vi gente assim. Essa turma que conheci aqui me dá muita felicidade. Gosto dessa sinceridade!”, enalteceu.



Por sua vez, dona Maria Quadros, que também é escritora, se expressou sobre o espaço cultural. “É gente simples que se faz cultura porque, aos outros, cabe a arrogância”, pontuou.

Os convidados

Dezenas de convidados estiveram presentes na Arena e saborearam um almoço preparado para comemorar o aniversário do espaço. O poeta Francisco Quintanilha, morador de São Vicente, registrou uma frase sobre o evento. “Arena Chiqueiral: onde os poetas se encontram e se confraternizam”, citou.

O jovem fazendeiro Alex Ramos comparou as amizades que o evento, naturalmente, cria com um verso da música do Grupo Fundo de Quintal: “A Amizade nem mesmo a força do tempo irá destruir”.

O professor de Geografia aposentado e colaborar da Arena, Aoéde Márcio, levou sua mãe dona Maria Mello e sua irmã. Ele, também, expressou seu sentimento pelo Centro de Lazer e Cultural. “Para mim, a Arena Chiqueiral chegou para resgatar a cultura do nosso município de Araruama e do nosso Terceiro Distrito de São Vicente de Paulo, cada vez mais aglutinando, em torno dela mesma, uma total efervescência de poetas, escritores e agentes culturais”, enfatizou.


Além desses componentes da sociedade local, o evento recebeu convidados do município vizinho, Rio Bonito. Entre eles, o empresário Renato Monteiro Parada com sua mãe, dona Néia Parada, e o poeta Ivan Navi. Renato sintetizou o evento com uma palavra. “Harmonia. Vejo tudo isso aqui como forma de manter a paz e conservá-la entre nós”, referenciou.


Durante a festa uma participação especial: parte do Grupo de Serenata Lua Branca, de Rio Bonito, abrilhantou a festa com canções que marcaram época. Maríssimo Pacheco Martins, a cantora Adriana, o cantor Luiz Antonio Moraes e Luiz Muniz (que toca o violão sete cordas) foram destaques. Maríssimo deu seu depoimento. “Vejo a Arena como amor à cultura. Isso vem de berço e a vontade de ver essa cultura tão sem apoio, atualmente, continuar sempre cultivada pelo povo, mesmo sem apoio dos poderes governamentais, gera encontros como este”, analisou.


Maríssimo destacou a ausência de quatro componentes do grupo por compromissos familiares e deixou um recado. “Gostaria de agradecer a oportunidade que o Daniel está nos concedendo”. Ele convidou, ainda, para os encontros semanais do Lua Branca, às quintas-feiras, a partir das 20h, na Sociedade Musical e Dramática Riobonitense, no Centro de Rio Bonito, intitulado “Quinta Musical”. Ele disse que, em seu município, comemora-se o Dia do Seresteiro no dia 18 de julho e o Dia de aniversário do Lua Branca é todo dia 07 de dezembro.


Como desfecho, Daniel de Mendonça Chaves, um homem simples, mas que conduz o Centro de Lazer e Cultural Arena Chiqueiral Sotero Teixeira de Souza com singeleza e maestria, não conseguiu definir o evento por ser tamanha a emoção. “Não dá para definir. A ficha ainda não caiu”, disse, com exclusividade, ao CULTURA VIVA.

Veja um pouco mais das comemorações dos 3 Anos da Arena Chiqueiral:












Fotos: Divulgação





Foi lançado o edital para escolha dos atores que irão participar do Hebe, O Musical, com roteiro de Artur Xexeo e direção de Miguel Falabella. O edital foi lançado na última quarta-feira e já são mais de 500 candidatos. Inscrições seguem até o dia 27 deste mês. 

Mais de 500 pessoas já estão sendo avaliadas para participar das audições para o próximo passo da Plataforma Cultural Hebe Forever, encabeçada por Cláudio Pessutti: Hebe, O Musical, que terá roteiro de Artur Xexeo e direção artística de Miguel Falabella, produção de Luiz Oscar Niemeyer e Júlio César Figueiredo Júnior, coreografia de Fernanda Chamma e Cenografia e Designer Gráfico de Gringo Cardia, um tome de peso para fazer jus à trajetória da diva Hebe Camargo. As inscrições começaram nessa quarta-feira e encerram no dia 27 de julho. Os ensaios vão acontecer em agosto e setembro e a estreia do musical está prevista para outubro deste ano.
O musical é o segundo passo da Plataforma Cultural Hebe Forever, encabeçada por Cláudio Pessutti, e que terá ainda um filme, que será desmembrado em uma minissérie para TV e um documentário, um livro fotográfico e uma exposição com o acervo de Hebe. O musical será estreado no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, seguindo para o Rio, com grandioso elenco.
Os interessados devem encaminhar breve currículo e duas fotos, uma de rosto e outra de corpo, para o email audicao@atualc.com.br e as interessadas em fazer o papel de Hebe devem colocar no assunto “Personagem Hebe”. As audições estão sendo realizadas pela Atual e pela Bonustrack.
Sobre Hebe Camargo
Paulistana de Taubaté, Hebe conquistou os brasileiros desde suas primeiras aparições como cantora, ainda na Rádio Tupi, na década de 1940. Hebe fez parte da comitiva que foi a Santos buscar os primeiros equipamentos para dar início à rede Tupi, primeira rede de televisão brasileira. Desde então, nunca mais saiu do ar, tornando-se A Rainha da Televisão Brasileira. Com sua personalidade forte, Hebe foi e ainda é um dos maiores ícones da nossa televisão: participou da primeira transmissão ao vivo, iniciou o primeiro programa feminino da TV brasileira, se tornou uma das maiores entrevistadoras do país.
Sobre a Plataforma Cultural
Liderado por Cláudio Pessutti, o projeto iniciado com a biografia de Hebe e que segue com o Musical terá ainda diversos eventos culturais, que serão lançados em 2017 e 2018, como a EXPOSIÇÃO com todo o acervo da apresentadora, como roupas e joias, e um FILME, que será desmembrado em uma MINISSÉRIE para TV e um DOCUMENTÁRIO. O anúncio dos próximos passos será realizado em breve, bem como as parcerias de peso que cada produto terá.


Luan Santana se apresenta em Volta Redonda, no Rio, na noite do último domingo

|


O cantor Luan Santana se apresentou no Area Verde Pet, em Volta Redonda (RJ) na noite do último domingo.



A musa da escola de samba Mocidade, Giovana Angélica, e o empresário Alexis de Vaulx posaram para fotos com Luan, no camarim. 



Fotos: Daniel Pinheiro/Divulgação 


Espetáculo 'Alquimistas' leva a linguagem do clown ao Teatro Ruth Escobar

|


Com texto de Vicentini Gomez, o espetáculo infantil Alquimistas - Inventores de Inventos estreia no dia 12 de agosto(sábado, às 17h30), na Sala Gil Vicente do Teatro Ruth Escobar. A peça - dirigida por Carlos Meceni - tem linguagem clownesca e elenco formado por Pedro Paulo Vicentini, Camila Doná e Pedro Daher.

Diz a lenda que os alquimistas buscaram incessantemente descobrir o elixir da vida eterna e a transformar metal em ouro, o que proporcionaria riqueza, abundância e juventude ao homem. Essa busca os levou a pequenos inventos, tornando-se os precursores da química moderna. Assim, de coração partido pela rejeição da amada, o personagem Orfeu (Pedro Paulo) se aventura nos experimentos alquímicos. Seu sonho é transformar pedra em ouro para encantar o seu amor. Envolvido em suas experiências, ele não percebe a invasão de dois amigos – Hepaminondas (Daher) e Emília (Camila), que procuram uma simples pedra para um trabalho escolar.

Explorado a estética do clown, as personagens invadem as gags dos palhaços, transformando o espetáculo em uma palhaçaria cantada. O enredo também visita músicas da nossa infância, extraídas da cultura popular, relembrando paixões e fantasias que transformam os sonhos de Orfeu em risadas e muitas brincadeiras.


Segundo Carlos Meceni, Alquimistas - Inventores de Inventos é um espetáculo com ritmo, dinamismo e muita ação. Os três jovens se envolvem em uma série de quiprocós que resulta em um jogo continuo recheado pela música, outros sons, aventuras e até trava-línguas.

Ficha técnica / serviço

Texto:  Vicentini Gomez
Direção: Carlos Meceni
Elenco: Pedro Paulo Vicentini, Camila Doná e Pedro Daher
Direção musical: Michel Vicentine Martins
Figurinos e adereços: Neide Silva
Concepção cênica: Carlos Meceni


Espetáculo: Alquimistas - Inventores de Inventos
Estreia: 12 de agosto. Sábado, às 17h30
Teatro Ruth Escobar (Sala Gil Vicente)
Rua dos ingleses, 209. Vela Vista/SP. Tel: (11) 3289.2358
Temporada: 12/08 a 26/11 - Sábados e domingos, às 17h30.
Duração: 50 minutos. Indicação de idade: 3 anos. Capacidade: 320 lugares.
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e 20,00 (meia)
Bilheteria: quinta e sexta (14h às 21h30), sábado (12h às 21h30) e domingo (12h às 19h30).
Aceita cartões de débito/crédito (MC/V/E/D). Ar condicionado. Acessibilidade.

O autor Vicentini Gomez

Vicentini Gomez é ator, dramaturgo e cineasta. Tem 40 anos de carreira, conquistando diversos prêmios no cinema, teatro e TV, como o Mambembe, Apetesp e o de melhor filme da Jornada de Cinema da Bahia, entre outros. Seu filme Porto das Monções vem sendo exibido em congressos e faculdades de história de várias cidades do país. Com seus espetáculos teatrais, fez turnês pela Europa e América do Sul. Seu maior sucesso foi a comédia Confidências de um Espermatozóide Careca, que circulou pelo Brasil por 15 anos consecutivos. Na TV, atuou em 22 telenovelas e séries, sendo alguns personagens marcantes como Serjão, o sequestrador atrapalhado de Avenida Brasil, e Delegado Cavalcante, em Joia Rara (prêmio Emmy de Melhor Telenovela), ambas na Rede Globo. Mais recentemente, viveu o Italiano Giuseppe Cavichioli, na novela Cúmplices de um Resgate (SBT). Suas produções cinematográficas foram classificadas em mais de 50 festivais de cinema e vídeo no Brasil e Exterior. Atualmente, está em fase de produção do longa-metragem Justiça – uma História!  e lançando História & Estórias, que celebra os 100 anos de Presidente Prudente.

O diretor Carlos Meceni 

Carlos Meceni é diretor, ator, autor. Sua trajetória registra mais de cem espetáculos teatrais. Já participou como ator em 22 filmes, muitos deles premiados internacionalmente, e em 19 telenovelas. Detentor de diversos prêmios como   Molière, APCA, Governador do Estado, Mambembe, INACEM, Sharp e Apetesp. Atualmente, está em cartaz nas séries Prata da Casa (na Fox) e O Homem da Sua Vida (HBO); no cinema com o filme Real, o Plano; e no teatro com Doze Homens e uma Sentença, com o Grupo TAPA.

Fotos: Carlos Meceni



'Quem Indica o Quê' com Marcos Paulo Ramos

|


QUEM? Marcos Paulo Ramos.

OCUPAÇÃO: Empresário.

INDICA O QUÊ? O livro “Energias Renováveis, Geração Distribuída e Eficiência Energética”, do autor José Roberto Simões Moreira.

SUA OPINIÃO: A maneira de se relacionar com o planeta e seus recursos é de extrema importância para a sociedade do século XXI, que utiliza um volume de energia maior do que nunca na história. O livro aborda temas cada vez mais atuais, como as principais fontes renováveis (solar, biomassa, ondas, marés, geotérmica e eólica). 

Foto: Arquivo pessoal de Marcos Paulo Ramos

Mario Canna no 'Quem Indica o Quê'

|


QUEM? Mario Canna.

OCUPAÇÃO: Comerciante.

INDICA O QUÊ? O livro “Guia do ciclista urbano”, do autor Alex Gomes (Editora Scortecci).

SUA OPINIÃO: É o básico para quem está começando a pedalar na cidade, mas também uma leitura muito gostosa para quem já é experiente, numa linguagem fluida que faz com que você leia o livro todo numa tacada só. 

Foto: Arquivo pessoal de Mario Canna

Alexsandro Barcellos (Pashupati Manittu) no 'Quem Indica o Quê'

|


QUEM? Alexsandro Barcellos da Silva (Pashupati Manittu).

OCUPAÇÃO: Massoterapeuta e Terapeuta tântrico.

INDICA O QUÊ? O livro “Tantra, o caminho da aceitação”, do autor Osho.

SUA OPINIÃO: É um lindo livro e uma ótima introdução ao Tantra. 

Foto: Divulgação

Alexis de Vaulx e Jean Christophe Marois receberam celebridades em festa no Rio

|


Alexis de Vaulx e Jean Christophe Marois receberam, na The Mansion, em Santa Teresa, no Rio de Janeiro: Giovana Angelica, João Paulo Mantovani Felipe e Alisson do Full House Violin Live, em comemoração da Festa Nacional da França.


As personalidades marcaram presença no camarote VIP.

Um pouco mais da festa:






Fotos: Daniel Pinheiro


Projeto 'Sol-Te': Oficina Livre de Teatro

19 julho 2017 |


Cia. Teatro do Incêndio disponibiliza entre suas ações formativas a serviço da comunidade na qual se insere, o bairro Bixiga, na região da Bela Vista, o Projeto Sol-Te – Oficina Livre de Teatro para crianças e adolescentes.

As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 4 de agosto, das 9 às 17h. Esta iniciativa visa estimular a criatividade e o aprendizado, além de ampliar referências por meio das artes cênicas e da conscientização sobre questões sociais.

Para se inscrever os jovens e crianças devem apresentar foto 3x4 e cópias de RG e comprovante de residência, na sede da companhia (Rua 13 de Maio, 53). O Sol-Te é dividido em duas turmas de 20 participantes cada: Pe.que.nos (6 a 11 anos) e E.vo.lu.ir (12 a 18 anos). As aulas serão ministradas sempre aos sábados, respectivamente, das 11h15 às 12h45 e das 13h30 às 15h, a partir do dia 12 de agosto.

Sol-Te contempla a realização de um espaço aberto, vivo; derrubando padrões de aprendizagem para erguer um lugar inquieto e inventivo, onde os participantes possam expandir suas experiências, valorizar a cultura e os saberes populares para construir sua própria visão de mundo. O projeto visa acolhimento e mergulho de todos em diversas áreas culturais e artísticas, a partir das diversas linguagens das artes cênicas - envolvendo teatro, música, dança, circo e cultura popular brasileira -, abrindo assim as portas para o aprendizado e a experimentação, além de estimular a expressão da liberdade e dos direitos, bem como o compartilhamento do conhecimento, das artes e das emoções.

Pautado nessa concepção de atuação social, que enxerga como cidadão não apenas aquele que vive em sociedade, mas aquele que a transforma com a sua participação, o projeto se fundamenta nos princípios da arte a serviço de uma educação transformadora que reconhece e desconstrói realidades para a emancipação do individual e do coletivo.

Segundo a idealizadora e coordenadora do projeto, Gabriela Morato, a prática do Sol-Te contribui para o fomento à arte e à cultura popular como um todo. “Os encontros incentivam o diálogo e a pesquisa sobre temas e questões sociais estimulando o ato de aprender, não somente para futuros artistas locais, mas também para a formação de cidadãos comprometidos com a importância da arte, do encontro, da troca, do outro”, comenta. Todas as atividades têm como objetivo não só um contato afetivo com a criança e o adolescente pelo desenvolvimento da linguagem, da lógica e da estética, mas, principalmente, a libertação da criatividade, da imaginação, da fantasia.

Sol-Te é uma ação permanente da Cia. Teatro do Incêndio que teve início no ano de 2014, sendo oferecida gratuitamente em edições semestrais na sede do grupo. O nome do projeto foi inspirado na forma poética de Paulo Leminski brincar com as palavras, transformando, por exemplo, ‘amar’ em ‘a mar’. Aqui é a provocação de encontros contrários, onde o participante pode “soltar-se, soltar o sol, só ter, sol-te”.


SOL-TE – Oficina Livre de Teatro
Inscrições grátis: até 4 de agosto, das 9 às 17h
Local: Teatro do Incêndio
Rua Treze de Maio, 48 – Bela Vista/SP
Segunda a sexta, das 9h às 17h
Apresentar cópias de RG, comprovante de residência e foto 3x4
Público-alvo: jovens e adolescentes da região da Bela Vista.

Início das aulas: 12 de agosto
Turma Pe.que.nos (6 a 11 anos): sábados, das 11h14 ás 12h45. 20 vagas.
Turma E.vo.lu.ir (12 a 18 anos): sábados, das 13h30 às 15h. 20 vagas.


Foto: Divulgação

O empresário brasiliense Mattioli está no reality 'A Casa' da Record

|


O empresário Mattioli, 29 anos, antes de entrar no reality show “A Casa” da Record, posou para um editorial de moda em Brasília na sua cidade natal para as lentes do fotógrafo Tiago Galleone, com produção da renomada Raquel Estefano.


As fotos aconteceram no restaurante Pobre Juan dentro do Shopping Iguatemi, com beleza assinada por Ita Ribeiro da equipe do badaladíssimo salão Helio Diff.

Veja um pouco mais do ensaio:






Fotos: Tiago Galleone / CMMídia

Capoeira adaptada para idosos ajuda a melhorar a saúde física e emocional

18 julho 2017 |


A capoeira foi criada pelos negros africanos escravizados no Brasil, por volta do século XVII e hoje é ensinada em diversos países em todo o Brasil, seja em academias, escolas, universidades, projetos sociais e instituições para deficientes físicos com necessidades especiais.
Em 2008, a Capoeira recebeu o título de Patrimônio Cultural Brasileiro pelo IPHAN. No ano de 2014,nossa arte foi tombada pela UNESCO como patrimônio da humanidade.
Como esporte, a Capoeira foi oficializada em 2010,pelo Estatuto da Igualdade Racial, sendo reconhecida pelo conselho Nacional do Esporte em 2016. 
O Grupo Cordão de Ouro que desde 1967 se dedica à preservação e ao desenvolvimento da Capoeira, seja como arte, cultura e esporte, instrumento de educação e cidadania, realiza um sério trabalho de inclusão social, promovendo a qualidade de vida e o bem-estar proporcionados pela prática da capoeira tem conquistado cada vez mais um público assíduo de idosos.
Chamada de Capoteria, ela promove o encontro de gerações e o resgaste da valorização do respeito pelos mais experientes, garantindo assim a melhora da coordenação motora, elasticidade e fortalecimento muscular essencial para quem atingiu a maioridade.
Os idosos encontraram um novo estímulo para aproveitar a vida. Todos têm mais de 60 anos e escolheram entrar no ritmo. Os idealizadores da iniciativa adaptaram o esporte para a terceira idade. As aulas de capoterapia buscam fazer exatamente o que o nome revela: terapia por meio da capoeira.
Cada vez mais pessoas descobrem que para praticar a capoeira não importa a idade, os exercícios aeróbicos e danças faz com que o aluno, desenvolva benefícios múltiplos como, a perda de calorias, melhora o seu relacionamento interpessoal, aumento da criatividade e superação de depressão.
 Mais informações:
Foto: Fabio Augusto 



O espetáculo de improviso “Não Tem Xícara”, com direção de Ian Soffredini, estreia no Teatro dos Arcos  dia 05 de agosto e fará temporada até o final do mês, aos sábados e domingos, com entrada grátis. Essa é a primeira peça das seis novas produções que compõem o projeto “Berçário Teatral”, que tem como objetivo viabilizar a apresentação de espetáculos inéditos sempre no Teatro dos Arcos.

Com humor inteligente e ágil, o grupo de improvisadores promete fazer de cada sessão uma experiência única, através de espetáculos completamente diferentes, guiados a partir dos estímulos da plateia. A ideia a ser desenvolvida em cada sessão, parte de uma palavra qualquer dita por alguém da plateia. Esta palavra vai inspirar a criação de um monólogo que poderá ser realizado por um dos atores do elenco ou por um artista convidado. O ator usará todas suas referências pessoais relacionadas à palavra para desenvolver o monólogo. “Enquanto isso todos os outros atores observam e começam a se preparar para dar continuidade ao espetáculo”, explica Ian Soffredini, que também atua no espetáculo.

Os atores Cíntia Portella, Gui Neves, Maíra De Grandi, Rodrigo Arijon, Wesley Amorim e Ian Soffredini estão em treinamento para este trabalho há um ano. Todos os encontros têm como objetivo desenvolver a técnica de improviso chamada de ‘long-form’, que resultará num espetáculo desenvolvido em torno de um mesmo tema. “Por isso a gente não ensaia. Não existe um roteiro a ser seguido e ensaiado. Fazemos encontros para exercitar a técnica”, explica a atriz Maíra De Grandi.

Os encontros na fase de preparação desenvolvem a criatividade dos atores, bem como o estado de prontidão para reagir em cena nas situações mais inusitadas. Para um grupo conseguir improvisar e desenvolver a ideia na frente da plateia, é preciso uma afinada sintonia criativa. “No elenco há uma diversidade de referências artísticas e tipos de humor. Por isso os encontros possibilitam trocas de experiências que se mostram no resultado final”, explica Ian.

A Websérie

“Não Tem Xícara” começou no teatro e, brevemente, vai ser adaptada para a internet, em formato de websérie. Por isso, cenário, iluminação e outros recursos cênicos foram escolhidos para atender a necessidade da apresentação teatral e, ao mesmo tempo, do acabamento estético no vídeo. As sessões serão gravadas e o material editado em episódios de 10 a 15 minutos de duração.
FICHA TÉCNICA
Direção geral - Ian Soffredini
Elenco – Cíntia Portella, Gui Neves, Ian Soffredini, Maíra De Grandi, Rodrigo Arijon e Wesley Amorim
Cenografia – Jhonny Braz e Ana Caramelo
Figurinos – Maíra De Grandi
Fotos para divulgação - Sassá Tamashiro
Produção/Cia. Não Tem Xícara –Maíra De Grandi e Ian Soffredini
Realização do projeto Berçário Teatral – Doidim Produções

NÃO TEM XÍCARA
Local: Teatro dos Arcos
Estreia: 05 de agosto
Temporada até: 27 de agosto
Apresentações: sábado, às 19h e 21h; domingo, às 19h
Ingresso: Grátis (entrega de convites no local, uma hora antes da sessão)
Duração: 60 minutos
Classificação etária: 12 anos 

TEATRO DOS ARCOS
Rua Jandaia, 218. Bela Vista.
Informações: (11) 3101 8589
Capacidade: 70 lugares
Horário de funcionamento da bilheteria: somente nos dias de apresentação, uma hora antes.
Acesso para cadeirantes
Ar-condicionado
Estacionamento conveniado: Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, 502. Valor: R$ 20,00

Foto: Sassá Tamashiro