Ed Motta: lançamento nacional do Baile do Flashblack, dia 28, no Bourbon Street

20 setembro 2017 |


“O Baile Do Flashback é um projeto que sempre me foi cobrado pelas pessoas que acompanham meu trabalho, sempre existiu uma curiosidade em escutar minha voz em clássicos recentes da música, recebi emails por anos a fio com esse pedido.

Resolvi montar o show com ajuda preciosa do diretor musical e pianista Michel Lima, que fez os arranjos e me ajudou a montar a banda.

O repertório é repleto de temas que tocam até hoje nas rádios segmentadas, músicas que muitos conhecem mas os artistas não ficaram necessariamente conhecidos, casos como BB&Q Band, McFadden & Whitehead, Shalamar etc.


A veia principal do show é o soul/funk do final dos anos 70 e início dos 80, e conta também com baladas românticas como Take Me Now do David Gates, o compositor da banda Bread.

Nas plataformas digitais está disponível um single da música Living Inside Myself, do canadense Gino Vannelli, um tema que ainda toca muito nas rádios.

No show não pode faltar os sucessos da minha carreira como Colombina, Fora Da Lei, Manoel, Vendaval, Tem Espaço Na Van etc.

Eu me divirto muito cantando essas músicas que cresci escutando por onde passava, esse era o repertório popular da minha infância e adolescência.”


https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifEd Motta

Algumas do repertório ...

Shalamar - A Night To Remember https://www.youtube.com/watch?v=Qwvf2ilsogo
Ray Parker Jr. - A Womans Needs Love https://www.youtube.com/watch?v=QvBmtqyaijI
Al Green - Let's Stay Together https://www.youtube.com/watch?v=COiIC3A0ROM
Gino Vannelli - Living Inside Myself https://www.youtube.com/watch?v=wvN_lPOz73A

Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP
Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 9h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h
Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h
Data : 28/09/2017- quinta-feira
Horário: 22h30
Abertura da casa: 21h
Duração: 70 min. aproximadamente
Couvert Artístico: 2º. Lote R$ 150,00( Mesa no mezanino por pessoa); R$ 120,00 (Mesa atrás da pista por pessoa); R$ 85,00 pista
Venda também pela Ingresso Rápido - 11 4003 1212 - www.ingressorapido.com.br
Classificação indicativa : 18 anos e 16 anos acompanhado de responsável
Capacidade: 580 pessoas
Estacionamento/ Valet: R$ 25,00
Aceita todos os cartões de débito e crédito.
Acessibilidade motora
Ar condicionado.
Wi-fi( solicitar senha na casa)

Foto: Valéria Macedo



Anderson RaraKalma lança primeiro CD solo

|


Depois de longa trajetória na área do pagode gospel e com bagagem em grupos, o cantor Anderson RaraKalma lançou, ontem, seu primeiro CD solo intitulado “Levanta e Anda”, no Espaço Ceccarelli, no Centro de Rio Bonito (RJ), às 20h. Músicos e amigos do artista que moram em Niterói, São Gonçalo, Silva Jardim e Cabo Frio compareceram, além de familiares e admiradores. Com banda ao vivo, Anderson provou que nasceu para atuar no meio. O show foi um marco em sua carreira e sinaliza o início de uma nova jornada, totalmente promissora. 

Foto: Edson Soares

Cantor Jairo Silva lança álbum

|


O cantor gospel Jairo Silva lançou o CD “Caminharei”no dia 16 de setembro, às 20h, no Templo da Primeira Igreja Assembléia de Deus em Rio Bonito (RJ), localizada no Centro da cidade. No evento estiveram presentes parentes, amigos e admiradores. Jairo apresentou algumas canções de seu repertório e agradou o público. Ao terminar sua apresentação, reservou um momento para fotografar com o público. 

Foto: Edson Soares


Sabe quando você guarda o melhor para o final, pra comer depois? Yuri Gofman conta nesse espetáculo como foi que aprendeu que a vida é pra comer agora

Depois de oito anos fazendo personagens cômicos, humor com texto, teatro físico, Yuri Gofman começou no stand up e agora estreia em São Paulo o show “Pra Comer Depois”, que começa temporada no Teatro Folha no dia 06 de outubro, em sessões às sextas-feiras, às 23h59.

“Foi como mudar de sexo: você acha que ver é tão fácil quanto fazer, mas se você vai ter uma ferramenta nova precisa de habilidade com ela”, afirma Yuri, que, com a vantagem de já ser humorista, antes de levar seu show aos palcos, o testou em vídeos e trouxe sua experiência como autor, a interação com o público e o improviso para pular etapas na criação de seus sets.

Criou seu primeiro show, testou na estrada, em teatros, escritórios, em eventos corporativos para seu patrocinador, a Germed. Foi um intensivo que o fez amadurecer ainda mais rápido. Quando o show entrou em cartaz, no Rio de Janeiro, já tinha um repertório, que melhorou e deu mais confiança ao autor/ator. E foi esse o caminho que o levou a criar e produzir o espetáculo “Pra Comer Depois”, com material novo e mais focado na interação com o público.

Partindo de sua biografia de ator, roteirista e diretor, do sonho de ser galã de novelas, à desistência da profissão – aconselhado pela própria mãe, a atriz Rosane Gofman – e como o humor o trouxe de volta, Yuri parte para a comicidade, em um texto que traz uma mistura da conversa com amigos no bar e das relações entre mãe e filho, vida a dois, trabalho, ansiedade, de viver tudo ao mesmo tempo, o que o aproxima da plateia. Yuri fala sobre ser um cara comum, nem bonito nem feio, para chegar à vida do ser humano igualmente comum.

Mais que um show de humor, “Pra Comer Depois” leva a plateia a uma experiência. Um bar montado no palco, com mesas e cadeiras, convida o público para beber uma cervejinha e Yuri cria em cima do que cada um tem pra contar na hora. “Sabe quando você fala ‘po, lembra aquele dia no bar, que tava eu, você, o Yuri...’? É esse tipo de memória que a gente quer criar. “

“Eu mesmo há um ano estava solteiro, pegando geral, mas sou um cara normal, nota 5, e pra pegar alguém eu tinha que conversar e às vezes você não quer, e quando você fala nem sempre a pessoa gosta do que você diz, então... em um ano eu tive um filho, ganhei uma filha, casei, me mudei pra São Paulo e estou devendo no SERASA. Dividir isso com as pessoas faz ficar mais leve, engraçado e cheio de identificação. Você pode se achar muito especial, mas no fundo todo mundo é parecido. E é nisso que foco meu show”, considera Yuri, que finaliza: “E com tanto comediante por aí, se uma empresa resolveu gastar seu dinheiro de marketing pra me patrocinar, não foi por amor, né? Eu devo ser engraçado.”

Que seja fast food, como faz referência na arte da peça, mas que importe o momento, a lembrança, quem está com você. “Quando trabalhava no McDonalds, eu sempre deixava um sanduíche na estufa pra comer depois do expediente, porque quando sobrava nós comíamos. Mas, às vezes, quando estávamos fechando, aparecia um cliente que comia o meu sanduíche. A gente nunca sabe, nessa vida, se deixar pra comer depois,  alguém vai comer nosso sanduiche. Ou não”, pondera Yuri. Ao mesmo tempo o slogan da peça, "vamos rir de tudo isso", é emulação do "amo muito tudo isso", da rede de fast food. “Rir sozinho é ruim. É coisa de maluco. E da minha mulher também, ela ri sozinha. Mas deve ser meio maluca, é casada comigo”.

Existe essa impressão que não só a vida, mas o humor aqui é fast food: as pessoas consomem de forma imediata. Esse é o conceito que norteou a criação de “Pra comer depois”. Pela rapidez e proximidade do público, acaba criando uma experiência. “Memórias você cria assim, compartilhando”, diz Yuri, que completa: “e ainda temos parcerias com estabelecimentos 24 horas, caso alguém queira sair pra comer um sanduiche depois”.

Yuri optou por chamar “Pra Comer Depois” de comédia ou show porque faz cenas que não consideradas stand up. Então é um show de humor em que se pode notar a influência da precisão e dedicação dos comediantes, mas também as experiências que acumulou como ator. Esse é o show sobre a vida de todo mundo, sobre família, relacionamentos e como tudo isso é louco, a vida corrida que a gente leva. “Pensa nisso e vem me ver. Vem com os amigos, com a namorada, com o amante, com a mãe, com o pai. A vida tá difícil? Tá ruim pra todo mundo? Vamos rir de tudo isso. E com saideira.”


SOBRE YURI GOFMAN

É ator, roteirista e diretor. Criou, dirigiu e atua fazendo mais de 15 personagens na primeira série teatral do Brasil, “Doutor”, que já viajou todo o Brasil em mais de 500 apresentações de seus 3 episódios (“Doutor”, “Doutor 2” e “Doutor 3”). Os espetáculos foram visto por mais de 100.000 pessoas.

“Posso ser sincero?” é seu primeiro espetáculo stand up, com temporada bem sucedida em um dos mais prestigiados espaços do Rio de Janeiro, o  Teatro dos Quatro. Com ótima recepção do público e da crítica, o espetáculo revelou sua habilidade de contar histórias.
Há mais de dez anos trabalhando em parcerias com empresas, fez diversos trabalhos artísticos com brienfing de profissionais da área, com a missão de transformar o institucional em espetáculo.

Autor e diretor do espetáculo “Meninas Crescidas Não Choram”, que esteve em cartaz em São Paulo e outras diversas cidades do país. Está em produção do espetáculo “Pelejas de Ojuara”, baseado no livro que inspirou o filme “O homem que desafiou o Diabo”.
Colabora como consultor para humoristas e produtoras, avaliando roteiros em tratamento. Cronista, colaborou em publicações conceituadas como Revista O Globo e o extinto Jornal O Dia.

FICHA TÉCNICA
Autor, diretor e ator - Yuri Gofman 
Produtor - Maurício Pinheiro

SERVIÇO: PRA COMER DEPOIS
Local: Teatro Folha
Estreia: 06 de outubro de 2017
Temporada até: 24 de novembro de 2017
Apresentações: sexta-feira, às 23h59
Ingresso: R$50,00 (setor 1) e R$40,00 (setor 2)

Duração: 70 minutos
Classificação etária: 14 anos 

TEATRO FOLHA

Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e  Grupo Pro Security.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL

O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, A Pequena Sereia”, Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

Foto: Demetrio Aguiar



Dia da Árvore será comemorado com atividades gratuitas no Horto Municipal

|

Programação vai de sexta a domingo e inclui oficinas, exposição e música


Para comemorar o Dia da Árvore (21 de setembro), a Coordenadoria de Meio Ambiente preparou atividades gratuitas que serão realizadas no Horto Municipal, em Cabo Frio (RJ). A programação começa na sexta (22) com a abertura de uma exposição de bonsais e da mostra de pinturas cores da mata, além da realização de eco oficinas sustentáveis. Essas atividades vão até domingo (24), das 9h às 18h. Na sexta também terá uma tarde musical, com apresentação do cantor Vinícius Santa Rosa.
Árvores-símbolos de Cabo Frio

Cada região do país tem uma árvore símbolo, e aqui em Cabo Frio, como em toda região sudeste, o Pau- Brasil é o mais simbólico de todos. Árvore que despertou a cobiça de europeus, pois era usada na fabricação de móveis e instrumentos musicais, além de ter o extrato transformado em corante vermelho. Mas além dele, que existia em larga escala na Mata Atlântica, Cabo Frio também é a terra da Aroeira, Guaquica, Guapeba e Bajuru.

A cidade possui vegetação diferenciada em relação ao restante do sudeste brasileiro por conta do relevo quase plano e clima semi-árido. Durante o desenvolvimento urbano de Cabo Frio, predominava o pau-brasil, que ainda resiste e é encontrado nas Áreas de Proteção Ambiental (APA) que leva o mesmo nome da árvore. Esta APA é a maior e mais importante reserva de pau-brasil em todo o estado do Rio.

A aroeira vermelha também é uma importante espécie encontrada na região. A árvore tem como fruto a pimenta rosa, que possui sabor adocicado, mas com teor ácido e de ardência leve, muito parecido com a pimenta do reino, só que mais suave. A pimenta é muito usada na gastronomia nacional e internacional, mas a aroeira também tem qualidades reconhecidas na medicina. Por seu uso na culinária francesa, recebeu o nome de poivre rose. Na medicina ela é usada no tratamento da artrite, febres, ferimentos, reumatismos, higiene íntima das mulheres e nos cuidados pós-parto.

Para o biólogo Eduardo Pimenta, coordenador de Meio Ambiente da Prefeitura de Cabo Frio, as ações promovidas pelo município contribuem para o desenvolvimento de uma nova educação ambiental.

“As atividades que promovemos são de extrema relevância porque elegem uma nova forma de pensar e agir buscando sempre a sustentabilidade. Precisamos proteger o Meio Ambiente e se cada um fizer sua parte na cidade, teremos ótimos resultados”, ressaltou ele, convidando a todos para a exposição no Horto Municipal.





Feira de Ciências integra alunos e incentiva conhecimento

|


Colocar em prática as experiências pedagógicas aprendidas na sala de aula. Com esta motivação, alunos da rede municipal se apresentaram nesta quarta-feira (20) na Feira das Ciências de Macaé (Fecimac), na Cidade Universitária, no Rio de Janeiro. A programação contou com a apresentação de cerca de 60 trabalhos produzidos por cerca de 170 estudantes. Dos projetos apresentados, quatro serão selecionados para a Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (FECTI), que acontecerá nos dias 25 e 26 de novembro, no Rio de Janeiro.

Entre os vencedores, estão os representantes do sexto ano dos colégios Elza Ibrahim, trabalho "Retroescavadeira"; Ivete Santana, "Terrarium" e Maria Letícia Santos Carvalho, "Salão de Beleza Sustentável".  Os ganhadores do sétimo ano foram "Braço Hidráulico", do Colégio Olga Benário; "Medição e correção do PH", do Maria Letícia Santos Carvalho, e "Doar: exercício da caridade", do Ivete Santana.

A lista segue com os campeões do oitavo ano: "Alimentos X proporcionalidade", do Colégio Ancyra Gonçalves Pimentel; "Moringa Oleifera", do Ancyra Gonçalves Pimentel, e "A importância da fermentação, do Olga Benário. No nono ano, a Fecimac teve como campeões os projetos "Game dos Biomas", do Maria Isabel Damasceno Simão; "Etnoecologia e ações socioambientais locais", do Raul Veiga, e "Magnetismo e Eletromagnetismo", do Maria Isabel Damasceno.

Durante a Fecimac os trabalhos foram avaliados por uma comissão julgadora formada por universitários dos cursos de graduação em Medicina, Direito e Enfermagem, além da coordenadora do programa Praça da Ciência e representante da FECTI, Sônia Camanho. Eles observaram critérios como relevância do tema, qualidade da exposição oral, capacidade inovadora, interação, participação, entrosamento e organização geral.

A Fecimac despertou interesse não apenas dos estudantes, mas de universitários, professores, visitantes e a comunidade escolar. Alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio tiveram a oportunidade de apresentar trabalhos com foco nas áreas de Ciências da Natureza, Ciências da Matemática e Ciências Humanas e suas tecnologias.  

Presente, o secretário de Educação, Guto Garcia, destacou ser eventos desta natureza oportunidades para atrair os alunos para à área científica. "Em feiras como estas os alunos conseguem associar a teoria à prática. A proposta é despertar habilidades para as áreas de Ciências e Matemática, promovendo a integração entre os participantes", pontuou. A programação foi idealizada para destacar a capacidade de desenvolver projetos com base na metodologia científica, exposição de ideias, trabalho em equipe e estimular alunos na participação de feiras científicas municipais, estaduais e nacionais. Para a  superintendente de Educação Integrada, Andrea Martins, a Fecimac é uma oportunidade de revelar talentos. 

Trabalhos

Concentrados e integrados, os alunos explicaram com detalhes projetos diversificados. Entre as escolas participantes esteve o Colégio Municipal Raul  Veiga, da região serrana, que apresentou ações socioambientais e de preservação dos rios São Pedro e Duas Barras.

Orgulhosas, as professoras de Ciências, Denise Motta e Patrícia Coutinho, que lecionam no Olga Benário, afirmam que as feiras são essenciais no processo de ensino. "Os alunos realmente pesquisam, se dedicam às atividades. Ficamos orgulhosos com o comprometimento. Só na escola conseguimos envolver cerca de 700 estudantes na feira interna", lembram.

Trabalhos como "Matemática está em tudo", "Pirâmide Alimentar", "Biomas" e "Magnetismo e Eletromagnestismo" também foram destacados na Feira. Unidos, os estudantes do nono ano do Colégio Municipal Professora Maria Isabel Damasceno Simão despertaram a atenção do público com pesquisas. Animado, João Lucas Machado reuniu a equipe para apresentar os efeitos do magnetismo.

Com jeito de futuros cientistas, os estudantes João Victor Cirilo e Cláudio Gabriel Leripo criaram um jogo programado por meio da robótica para apresentar o estudo do bioma. "Estudamos muito para apresentar o melhor para o público. Estar na Fecimac é uma honra. Fomos selecionados em meio a vários projetos", conta João, acompanhado do diretor Roberto Valcácio.

A programação também incentivou  os pequenos. A garotada  da  Escola Municipal de Educação Infantil Lia Koop Franco, apresentou o projeto "Corrida das Tintas", que teve como destaque o lúdico  e o ensino da Matemática. A Fecimac em Macaé é fruto de um projeto que foi selecionado e aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).  
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif


Foto: Rui Porto Filho

'Existe Sexo Depois do Casamento?' estreia no Teatro dos Arcos dia 30 de setembro

|


A comédia “Existe Sexo Depois do Casamento?”, do autor americano Jeff Gould, estreia no Teatro dos Arcos dia 30 de setembro e ficará em cartaz até 22 de outubro aos sábados e domingos às 19h, com entrada grátis. Traduzida e dirigida por Isser Korik, a montagem é o terceiro espetáculo a ser apresentado no projeto Berçário Teatral.

“Existe Sexo Depois do Casamento?” traz à cena uma divertida situação em que os personagens avaliam como ficou a sexualidade após o casamento. O espetáculo mostra como os personagens lidam com seus desejos e fantasias, confrontando com os padrões de comportamento impostos socialmente aos casais.

“Cada casal tem seu pacto na relação. A peça mostra isso e as possíveis reações dos personagens diante deste dilema entre a liberdade e as regras de fidelidade”, comenta o diretor Isser Korik, que propôs revezamento de personagens aos atores. Cada ator interpreta dois papeis durante a temporada.

Na peça, Bia é uma mulher lúcida, inteligente e engajada por fazer do mundo um lugar melhor. Ela é esposa de Jorge, um homem sonhador, de temperamento agradável e muito interessado em apimentar a sua vida sexual. Bia e Jorge são amigos de Zé, um homem charmoso, apaixonado por sua mulher Cris, que é sexy, otimista e muito feliz com seu casamento.

A trama tem outro casal formado por Luís, esperto, brincalhão, que adora provocar sua sarcástica esposa Suzy, que não perde uma oportunidade para trocar alfinetadas com Luís. Para divertir, trazer mais informações à trama e também para confundir a cabeça dos casais, entram em cena os personagens Beto, Tammy, Léo, Laura e Gabi.

O elenco foi selecionado num workshop gratuito promovido pelo projeto Berçário Teatral. Trinta e seis atores frequentaram as atividades em oito encontros. Todos participaram dos primeiros estudos para a montagem que apresenta estética realista, com características do teatro popular. “As piadas são mais explícitas e os atores tem atuação mais solta”, explica o diretor, que no ano passado traduziu e dirigiu a comédia “Jogo Aberto” (It´s Just Sex), do mesmo autor. A peça esteve em cartaz no Teatro Folha em temporada de sucesso e viajou pelo interior do Estado. “A primeira parceria com a peça Jogo Aberto foi tão boa que Jeff Gould apostou no projeto Berçário Teatral e disponibilizou outro texto de sua autoria”, conta.

SOBRE O PROJETO BERÇÁRIO TEATRAL

O projeto Berçário Teatral tem como objetivo viabilizar apresentações de espetáculos com entrada grátis no Teatro dos Arcos, localizado na Bela Vista. A realização começou no início de agosto este ano com o espetáculo de improviso “Não Tem Xícara”, idealizado e dirigido por Ian Soffredini. Depois recebeu a montagem inédita “Terra dos Outros Felizes – o Jogo dos Amigos Imaginários”, texto de Michelle Ferreira e direção de Vanessa Guillen. “Existe Sexo Depois do Casamento?” é a terceira montagem do projeto, que contará com mais três novas produções.
SOBRE O AUTOR JEFF GOULD
Jeff Gould trabalhou como ator em diversas peças. A sua primeira peça “Troubled Waters” foi bem recebida pela crítica e teve uma temporada de muito sucesso em Studio City, Califórnia.
O autor diz que adora escrever sobre sexo e casamento. Como resultado de seu interesse pelo tema, escreveu “Jogo Aberto” (It´s Just Sex). A peça foi encenada com várias produções bem sucedidas em Los Angeles, Denver (Colorado) e também nas cidades de Ontário (Canadá) e Atenas (Grécia). No Brasil, a peça foi traduzida e dirigida por Isser Korik em 2016, com temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e outras cidades.

Sua mais recente comédia, “Existe Sexo Depois do Casamento?” (Is There Sex After Marriage?) estreou em Los Angeles para uma temporada de apenas oito semanas, em março de 2014, e acabou sendo prorrogada por três vezes, ficando sete meses em cartaz.
Antes de escrever suas obras teatrais e de realizar produções, Jeff teve vários artigos publicados na Card Player Magazine, baseado em sua longa carreira como um jogador de pôquer profissional.


SOBRE O DIRETOR ISSER KORIK

Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo. É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha. Coleciona trabalhos marcantes como comediante em quase 30 anos de carreira, como, “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson.

Concebeu “Nunca se Sábado...”, apresentado em quatro temporadas sob sua direção-geral, marcando a cena paulistana. Dirigiu a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso...”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA.

Seus trabalhos de direção mais recentes são as comédias “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; e “O Empréstimo”, de Jordi Galceran.

No teatro musical, foi coprodutor de espetáculos muito bem recebidos pelo público e crítica: “Um Violinista no Teatro”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 minutos” ,“Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles Num Céu de Diamantes”, todos dirigidos por Charles Möeller e Claudio Botelho, além de ter dirigido “Ivan Lins em Cena” e “Paralamas em Cena”.

FICHA TÉCNICA
Texto – Jeff Gould
Elenco - Bianca Almeida, Brunna Martins, Bruno Ferian, Denis Felix, Isaac Medeiros, Júlia Carone, Leôni Escobar, Monique  Hortolani, Neto Villar, Paula Davanço, Rafael Costa e Ronaldo Saad 
Cenografia - Paula de Paoli
Assistente de cenografia - Clau Carmo
Cenotécnico - Wagner José de Almeida
Serralheria - José da Hora
Figurinos  - Isabel Gomez e Pedro Pó
Criação gráfica - Winnie Afonso
Fotografia - Eduardo Leão
Produção executiva - Isabel Gomez e Pedro Pó
Tradução, iluminação e direção - Isser Korik
Realização - Doidim Participações Ltda



EXISTE SEXO DEPOIS DO CASAMENTO?
Local: Teatro dos Arcos
Estreia: 30 de setembro
Temporada até: 22 de outubro 
Apresentações: sábados e domingos, às 19h.
Ingresso: Grátis (entrega de convites no local uma hora antes da sessão)
Duração: 80 minutos

Classificação etária: 16 anos

TEATRO DOS ARCOS

Teatro dos Arcos (Rua Jandaia, 218. Bela Vista. Tel.: 11 3101-8589)
Capacidade: 70 lugares
Horário de funcionamento da bilheteria: somente nos dias de apresentação, uma hora antes.
Acesso para cadeirantes
Ar-condicionado
Estacionamento conveniado: Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, 502. Valor: R$ 20,00

Foto: Eduardo Leão



'Alice no País das Maravilhas' da Cia. Le Plat du Jour reestreia no Teatro Folha

19 setembro 2017 |


Na montagem da Cia Le Plat du Jour a personagem Alice é uma menina que mora em uma grande metrópole

A Cia Le Plat du Jour volta ao Teatro Folha para reestrear a peça ”Alice no País das Maravilhas” dia 07 de outubro. A temporada acontecerá até 17 de dezembro, aos sábados e domingos, às 16h.

Nesta montagem Alice mora em um prédio situado em grande metrópole. Como toda criança, Alice só deseja brincar com outras crianças, mas como nem sempre isso é possível, ela resolve dar um mergulho em sua imaginação. A correria do dia-a-dia e a vida na cidade grande não impedem que a menina viva muitas aventuras. “Eu queria tanto que tudo fosse tão diferente” é o que diz na busca do lugar ideal, o paraíso perdido, seu verdadeiro “Jardim das Maravilhas”.

A partir do desejo de Alice, o público vê a grande viagem da personagem. Nesta aventura, tudo é possível: ela diminui e aumenta de tamanho, encontra situações e personagens inusitados como um coelho que anda de ponta cabeça, um cachorro gigante, um cogumelo que canta, um dragão que voa, uma rainha autoritária, entre outros personagens.

O humor irreverente e nonsense da Cia Le Plat du Jour unido às técnicas circenses utilizadas no espetáculo dão a graça e a beleza que agradam não somente às crianças mas também aos adultos.

A montagem é uma adaptação do livro “Aventuras de Alice no país das maravilhas”, de Lewis Carroll. A obra foi publicada pela primeira vez em 1865. A complexa obra deu vazão a diversas interpretações tanto para o universo da psicanálise como para o universo artístico.

SOBRE A CIA LE PLAT DU JOUR

A Cia. Le Plat du Jour foi fundada por Alexandra Golik e Carla Candiotto na cidade de Paris em 1992. Tem sua sede na cidade de São Paulo, de onde vem construindo uma trajetória de reconhecimento no teatro, principalmente pela qualidade, seriedade e linguagem diferenciada, com que lida na adaptação dos contos tradicionais da literatura infantil para teatro.

Com mais de treze montagens, público estimado de quarenta mil pessoas por ano nos últimos anos, amplo reconhecimento por parte da crítica especializada e uma trupe de 20 atrizes envolvidas diretamente no processo criativo e nas montagens, a Cia. Le Plat Du Jour, entre seus projetos sente a necessidade de realizar, cada vez mais, a circulação de seus espetáculos. 

A linguagem da Cia. Le Plat du Jour tem como característica adaptar de uma forma única os clássicos da literatura infantil, com o uso de um senso de humor muito característico, presente nas soluções cênicas e nos textos, humor esse que resulta do olhar das diretoras da Cia., palhaças com larga experiência nesse ofício (as fundadoras da Cia. são palhaças desde 1990, já tendo passado por importantes grupos como Doutores da Alegria).

São também muito presentes nos espetáculos o uso diversificado de onomatopeias, técnicas de mímica, teatro físico e commedia dell’arte, que contribuem para o ponto forte do grupo que é a interpretação e a desenvoltura das atrizes-palhaças, ao se desdobrarem em diversos papeis em cena. 

FICHA TÉCNICA
Adaptação livre do livro “Aventuras de Alice no país das maravilhas” de Lewis Carroll 
Criação: Le PLat du Jour
Texto e Direção: Alexandra Golik e Carla Candiotto
Assistência de direção: Bebel Ribeiro
Elenco: Cia Le Plat du Jour
Música original: Marcelo Pellegrini
Voz do “gato que ri”: Edson Montenegro
Cenografia: Le Plat du Jour e  Paula De Paoli
Cenotécnico: Wagner José de Almeida e Juciê Batista
Design Gráfico: Paula De Paoli
Figurinos: Chris Aizner
Adereços: Ivaldo Melo
Desenho de luz: Miló Martins
Fotógrafo: João Caldas e Denys Flores
Consultoria circense: Adriana Telg,  André Caldas, Kiko Caldas, Marcelo Castro, Érica Stoppel, Ricardo Rodrigues, Rodrigo Matheus.
Produção: Andréa Marques
Idealização do Projeto: Helena Cerello
Realização: Le Plat du Jour

Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: a partir de 5 anos

”Alice no País das Maravilhas”
Local: Teatro Folha
Reestreia: 07 de outubro de 2017
Temporada: 17 de dezembro de 2017
Apresentações: sábados e domingos, às 16h. Sessões extras dias 12 e 13/10; 02, 03 e 15/11.
Ingresso: R$ 40,00 (setor único) *
  
*Valor referente ao ingresso inteiro. Meia-entrada disponível em todas as sessões e setores de acordo com a legislação.

TEATRO FOLHA

Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site:www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e Grupo Pro Security.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL

O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, A Pequena Sereia”,“Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

Foto: João Caldas