Só isso

29 novembro 2012 |


Em algumas circunstâncias tento me silenciar. Tento fingir que nada está acontecendo e prefiro erguer minha atenção a algo diferente daquilo que me aflige. Detesto ser incomodado, ameaçado, chantageado. Gosto da liberdade. Quero sempre estar só, respirar novos ares, observar outros olhares e mapear a vida conforme minhas regras: sem regras. Meus critérios são tão simples. Meus desejos tão pequenos. Contudo, parecem caríssimos, impossíveis de serem realizados. Choro. Me entristeço e percebo, então, que não mereço estar assim. Sou guerreiro. Batalhador. Me basto. Procuro depender o menos possível. Dou um jeito de resolver tudo e não dever nada. Ou, dever menos. Assim, persigo meus sonhos, alcanço algumas metas e o que não dá certo, ignoro. Que coisa chata também tudo dar sempre certo: às vezes é necessária uma pimentinha para dar outro sabor.
 
Ciente de onde vim, o caminho que trilho e onde pretendo chegar, estabeleço minhas escolhas. Não é fácil tomar decisões, gerir novidades e sustentar modos de vida particular. Requer equilíbrio, postura, ética de vida. Viver só às vezes dói. Quando a solidão bate à sua porta e entra sem pedir, o formal é abater, gerar sequidão de sentimentos e hostilidade de esperanças. Lamentável. Sofrido. Penoso.
A partir de agora, tudo o que eu preciso é sentir a vida, sentir que ainda estou vivo e posso respirar, ouvir, falar, sorrir. Aliás, o sorriso pode ser a atitude mágica de quem procura migalhas da alegria. Nem todo mundo que mostra os dentes está feliz, mas quando sorri faz um convite à alegria que, dentro de certa harmonia com outros atos comportamentais, pode traçar uma nova estrada.
Trocando por miúdos, só prezo pela felicidade saudável, se é que você consegue me entender. Só isso.

3 comentários:

Sueli disse...

Amigo Edson, que texto magnífico. Parece que sou eu rsrs. Você é muito especial, e que Deus continue usando sua mente para colocar no papel palavras que venham penetrar na mente humana. Parabéns! Deus seja louvado na sua vida.

Rogerio DE MORAES disse...

Este é o Edson que conheço! Um guerreiro! Lembra da distância que percorria para estudar? Eu lembro! E que de certa forma me dava ânimo também para trilhar o mesmo caminho. Agora, o jornalista Edson Soares, cresceu como profissional e mais ainda como pessoa. Quando li o seu texto, reflito e digo - VOCÊ É E SEMPRE SERÁ UM VENCEDOR!!! Um grande abraço do amigo Rogério Moraes

Felipe Almeida disse...

Me emocionei ! Lindo, sem palavras !