'GARDEL'... ESTRÉIA

04 maio 2009 |


SOBRE "GARDEL"
Gosto de biografias. De lê-las. De vê-las. De fazê-las. Para escrever Gardel, li três obras sobre o assunto. A básica: GARDEL, de Julian e Osvaldo Barky, a maravilhosa pesquisa de nosso José Lino Grunewald sobre o ídolo, e as páginas, links e mais links do site oficial de Gardel na Internet - sem o qual não seria possível a realização desse espetáculo. Reli, também, GARDEL, de Manoel Puig, que vi com o - para sempre amigo - Thales Pan Chacon, interpretando El Morocho. Li também a obra-prima EL DIA QUE ME QUIERAS, de Jose Cabrujas, que a querida Ângela Valério - que nesse espetáculo interpreta a Fatalidad - participou. Estive também em 2003 (na época da primeira montagem) com a produtora Vera Pinheiro, em Buenos Aires (onde fomos gravar as bases musicais ) e lá recebi informações valiosas da direção e funcionários do Instituto de Estudos Gardelianos - revistas, livretos, orações a gardel etc. Ate medalhinhas.
GARDEL- UM MUSICAL DE TANGOS é menos uma grande investigação através de uma vida cheia de mistérios (que nunca serão desvendados), do que uma grande celebração ao tango e a gardel como artista.
O espetáculo começa após a sua morte. E a partir dai, numa viagem ao passado longínquo (1890) e ao recente (as décadas de 20 e 30), do ano de 1935, o musical assume a postura de uma peça de Pirandello. Personagens reais ganham a roupagem da ficção - Maria La Vasca, Josephine Baker, Alfredo Le Pera, José Razzano, Isabel Del Valle - enquanto os fictícios se vestem de realidade. E o tango invade todos os cantos, as tábuas do palco o exalam, ele foge e paira no ar. E, assim, com humor, poesia, mentiras sutis e verdades brutais, um grande painel do que seria o NOSSO gardel - com certeza não O REAL- vai sendo traçado.
É claro que, para o sonho ser perfeito, é necessário ter os pés no chão da realidade. Por isso, afirmo, sem susto, que o que está lá no palco de fato aconteceu ou poderia ter acontecido, porque, no final das contas... daria no mesmo. A aparição de Piazzola, por exemplo, é um tipico exemplo de que só alguém com uma imaginação muito fértil poderia inventar cena mais absurda. pois o que esta lá é a pura verdade, documentado através das palavras do sucessor de gardel na mitologia musical argentina. E Borges esteve cantando para gardel? Isso não seria tão absurdo assim, já que os dois não saíam do teatro maipo - um na platéia, o outro no palco.
Posso chamar isso de uma concepção geral, que abrange texto e espetáculo. E viva Gardel! Viva o tango!

ELENCO: Ronaldo Dal'Bianco (no papel de Carlos Gardel), Ângela Valério, Alfredo Garcês, Lú Gondim, Sidnei Dominguez, Lino Correa, Julyane Bodini, Yara Brasão, Soria Castrioto, Altair Rodrigues, Clicia Brandão, Gabriel Azambuja, Ismael De Angeli, Tutti, Cristiano Carpes, Christian Knupp, Raphael Espindola, Colossal, Roberta Colossal, Kevin Colossal, Alan Isidio, Denise Klauck, Nádia Gonçalves, Clea Lobo, Érica Fernandes, Giovanna Corsino, Natália Martim, Raquel Sullavam, Jane Silva e Annie Scapin.

Participação especial da cantora Carmen Pompeo e dos bailarinos de tango Bob Cunha y Aurya Pires

FICHA TÉCNICA:
Texto e Direção Geral: Paulo Afonso de Lima
produção: Vera Pinheiro
Luz: Ericeira Júnior
Figurinos: Vera Pinheiro
Design de multimídia cênica: Mônica Ticiano
Movimentos coreográficos do elenco: Carlos Leça
Tangos coreografados por: Bob Cunha
Arranjos Musicas: Jorge Dragone (Buenos Aires)
Sonorização: Carlos Suka
Pesquisa Musical: Alfredo Garcês e Paulo Afonso de Lima
Assistente de Direção: Lú Gondim
Assistente de Palco: Cristiano Lopes
Assistente de Produção: Clicia Brandão
Fotos de divulgação: Andréa Rocha, e Nelson Nereu.

Estreia: 09 de maio de 2009 Temporada: de 09 de maio a 27 de junho de 2009
Horário: 19h
Local: Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824 - Ipanema. Tel: (21) 2523-9794
Ingresso: R$ 50,00 (inteira) | meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 65 anos
Vendas: www.ingresso.com.br ou na bilheteria do teatro
Duração do espetáculo: 90 minutos
Classificação etária: 14 anos
Capacidade: 260 lugares

Foto: Divulgação

0 comentários: