Melhor pra mim

31 julho 2010 |


Olhando as estrelas
Nada no espaço
Fica parado no lugar
A terra se move
Os carros na estrada
E eu dentro de um deles
Corro mais só pra te encontrar.
Olhando o relógio
O tempo não passa
Quando eu me afasto de você
Mas, se de repente
Ele fica apressado
E as horas disparam
É só porque encontrei você
E aí tudo muda
Penso em você e eu

A ciência confirma os fatos
Que o coração descobriu
Nos seus braços sempre me esqueço
De tempo, espaço e fim.
Quando te fazer feliz me faz feliz
Se a história é sempre assim,
Melhor pra mim

Olhando as pessoas
Falando de espaço
Mantendo distância
Sem saber
Que as antigas verdades
Viraram mentiras
E nada protege
Se uma paixão vier a acontecer

*Artista: Verônica Sabino
*Foto: Internet

Projeto Cidadão Olímpico no Rio

|


O projeto Cidadão Olímpico, da Secretaria Estadual de Trabalho, chega à Mangueira. Serão 300 vagas para cursos de qualificação gratuitos de camareira e arrumadeira, com inglês, já pensando na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016. E o que é melhor: com emprego garantido!

As inscrições, a partir do dia 02 de agosto, das 10 às 17 h, serão efetuadas no Centro Cultural Cartola, local onde as aulas serão ministradas. Os interessados deverão dirigir-se ao CCC munidos de comprovante de residência e documento de identidade, com foto. O curso terá início no dia 1º de setembro.

Um quarto-modelo será montado no Centro Cultural, especialmente para a realização das aulas práticas.

Foto: Divulgação

II Interbairros em Niterói de Capoeira Estilo Livre

|

A Liga Niterói de Capoeira, o Instituto Brasileiro dos Profissionais de Capoeira, o Instituto Zezeu Capoeira Livre e a Federação Fluminense de Capoeira promovem, em parceria com  o SESC Rio de Janeiro, o 2º Interbairros de Niterói de Capoeira Estilo Livre. O evento será realizado no dia 4 de stembro (Sábado), das 8h às 14h, no SESC Niterói (Rua Padre Anchieta, 56 – Centro – Niterói), e contará com a presença de vários mestres com reconhecimento mundial.

 

Na oportunidade, serão premiados os representantes dos grupos que conseguirem mobilizar maior número de capoeiristas, além do Destaque do evento.

 

Interbairros de capoeira

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

 

Durante o regime escravo, o negro que fugia era perseguido pelos capitães do mato e quando não conseguia êxito em sua perseguição, ao retornar, era questionado pelo senhor de engenho sobre o motivo de não ter conseguido e, como resposta tinha: “a capoeira me pegou” - fazendo alusão a vegetação rasteira, pois o negro aparecia de repente e acertava chutes, cabeçadas e rasteiras.

 

Interbairros de capoeira2

 

A CAPOEIRA NA ATUALIDADE

 

A capoeira nos dias atuais, derrubando as barreiras culturais, já  é praticada nos cinco continentes e, é reconhecido pelo Ministério da Cultura e, está em todos os níveis de nossa sociedade (clubes, creches, escolas, universidades, praças, empresas, etc) atendendo a todas as faixas etárias. 

 

Atualmente possui vários estilos e a capoeira está organizada através de Associações, Ligas, Confederação, Federação Nacional e Internacional, o estilo livre integra todas as características e é uma das mais importantes e genuínas expressões afro-brasileira  manifestando-se através expressões como a dança, jogo, luta, etc.

 

Interbairros de capoeira1

 

Foto: Divulgação

O PRIVILÉGIO DE SER NATURAL

28 julho 2010 |


Permitir que uma criança viva os melhores momentos que a infância reserva para ela é algo que deve ser respeitado. Com bastante cuidado e observação, a liberdade que ela tanto almeja pode existir. Liberdade para brincar com os amiguinhos que mais tem afinidade. De vez em quando “se maquiar” na poeira e na lama. Sujar a roupa, rasgar o short, brincar no quintal, na calçada, na rua em frente à sua casa ou na residência de um colega. Tudo isso sem fronteiras. Claro que, ao redor, adultos devem estar de olho em cada passo porque passar dos limites podem trazer conseqüências desastrosas.

Coisa triste quando se priva um ser de estar em seu posto natural. Um pássaro, ave tão livre que nasceu para cantar, favorecendo a audição dos homens, e voar para qualquer parte, sem pagar pedágio ou ter que prestar contas a alguém, não merece estar enjaulado numa gaiola como se fosse um criminoso. Por mais bonito que seja ou mais interessante e seu canto seja lírico, de tão fenomenal, seu dom foi-lhe concedido para abusar de sua liberdade natural, sem ultrapassar o que lhe foi permitido enquanto criação divina.

Da mesma forma, a criança quer estar solta para ser quem de fato ela é: espontânea, sincera, curiosa e criativa, fonte de sabedoria que surpreende os “grandinhos” à sua volta.

Existe hora para tudo: brincar, dormir, acordar, ir para a escola, passear e aprender com os pais, entre tantos afazeres que o mundo proporciona. A criança precisa ser advertida pelos responsáveis, não manchada. O aconselhamento e a orientação devem fazer parte do lar como integrantes da família, sustentando um ambiente de diálogo entre amigos, pessoas que se amam de verdade. Dizer “não” todas as vezes que a criança faz um pedido acarreta traumas que só podem ser vencidos num consultório de psicologia. Deixar o pequenino ser o que ele ainda é, demonstra respeito com o ser. Isso redobra os cuidados porque, como nos tempos antigos em que as cidades eram cercadas por muros, os adultos os representam para amparar, proteger e criar esse respeito, como se dissessem “este muro guarda uma cidade”. Afinal de contas, quem não gosta de ser protegido por alguém superior, que tem função ou nome reconhecidos?

Na verdade, a criança nasce pura, mas a medida em que vai crescendo, os adultos vão impondo medos, dizendo “não coloca a mão na tomada senão leva choque...”, e, com isso, ferem a integridade, transformam o ser natural em um robô ensinado, programado. Isso é normal, mas acontece que, aos poucos, vai mudando a naturalidade e transferindo seu lugar para sentimentos que fazem parte do mundo dos adultos, lugar da consciência e da responsabilidade. Criança precisa ter tanta responsabilidade assim?

Lembre-se de sua infância e de como era a sua vida e o seu comportamento. Lembra do que você mais gostava de brincar? Dos alimentos que mais enjoava a mãe para comprar? As privações, as coças de “vara de goiabeira”, as amizades, os vínculos, a sinceridade, as astúcias, as justiças e injustiças? O que mais gostava de assistir na TV, os gibis, as roupas, a presença ou ausência de brinquedos ou quem sabe ainda, como os criava para simplesmente se divertir? Tinha significado? Era importante ou não passavam de ilusões de sua imaginação? Você conseguiria viver sem tudo àquilo que parecia ser fundamental? Agora, olha para uma criança à sua volta. Perceba o jeito, as manias, a maneira simples que encara a vida. O que é mais fácil: frear ou participar de sua “festa da sobrevivência”? Participe. Embora seja muito difícil, não custa nada tentar.

Preta Gil celebra três anos de sucesso de 'Noite Preta'

|


Depois de agitar o Rio de Janeiro com um grande show no Scala, onde reuniu um público de mais de 2.500 pessoas, chegou a vez de São Paulo: no próximo dia 06 de agosto, a cantora Preta Gil agita a noite paulista com um show comemorativo dos três anos da Noite Preta e do lançamento de seu DVD, na Boite The Week. Com a presença dos Djs Theodoro Cochrane, Thalita Castro (Gambiarra) e Dri Toscano, a festa promete repetir o sucesso de sua versão carioca, que reuniu muita gente bonita, astros e vips, e caravanas de fãs de todo o país.

O Noite Preta começou de forma simples e despretensiosa, no Cinemathequé, no Rio: um espetáculo em que Preta Gil cantava as músicas que lhe agradavam, sem distinções de gêneros ou autores. O repertório eclético, o estilo “preta” de ser – muita comunicação e brincadeiras com a platéia - ganharam o público. Em pouco tempo, o local não comportava mais o que no início deveria ser um pocket-show, para no máximo 200 pessoas. O show mudou-se para um lugar maior, o Espaço Laranja, onde 700 pessoas poderiam curtir a “Noite Preta”. Mas o boca a boca continuou. Em pouco tempo as filas na porta, a procura antecipada por ingressos, a disputa por um lugar próximo ao palco por um grupo de fãs já estabelecido denunciava: a noite carioca via nascer um novo e grande sucesso.

No verão de 2009 o show chegou ao local onde encontraria sua melhor expressão e sua platéia mais afiada: a The Week, onde suas apresentações, normalmente em dias de semana, lotavam a casa, levando 3.000 pessoas ao delírio. De lá, partiu para conquistar o resto do país: São Paulo, Belo Horizonte, Vitória, Porto Alegre, Florianópolis, Blumenau, Cascavel, Salvador, Manaus, Belém do Pará, Macapá, Goiania, Brasília, Recife, Maceió, São Luiz, Fortaleza, Teresina, João Pessoa, Natal, uma lista imensa, que não para de crescer. Só em 2009 foram 87 shows. Neste ano, já passam dos 60.

Em seus três anos de existência, o Noite Preta ganhou não só o carinho dos fãs – uma platéia eclética e animada, como também a admiração da classe artística. Além da frequência constante dos famosos na platéia, Preta Gil pode contar com muitos amigos, que dividiram com ela os momentos de glória no palco: Ivete Sangalo, Ana Carolina, Gilberto Gil, Lulu Santos, Sandra de Sá, Maria Gadú, Davi Moraes, Milton Guedes, Buchecha, Margareth Menezes, Trio Ternura, Rogério Flausino, Luiza Possi, entre outros. Sempre mantendo sua principal característica: a diversidade musical.

“A Noite Preta retrata a minha personalidade musical, meu ecletismo, meu gosto e meu respeito pela Música Popular Brasileira, que pra mim, abrange desde Caetano Veloso e Gilberto Gil até Gaviões do Forró e Psirico, passando por Perlla e Kelly Key, explica a cantora.

O DVD

O show Noite Preta ganhou seu registro em DVD no ano passado e terá seu lançamento no próximo mês de agosto: "Esse DVD é um registro da minha caminhada como cantora, e da história da Noite Preta, uma história que me orgulha muito. Começamos bem pequenos, fazendo shows semanais num lugar que cabiam poucas pessoas, e hoje conquistamos o Brasil inteiro,” ressalta Preta Gil.

Produzido por Liga Entretenimento e gravado no dia 20 de outubro de 2009 na boite The Week, no Rio de Janeiro, Noite Preta tem concepção geral de Preta Gil, direção geral de Marcello Azevedo, direção de DVD de Gabriela Figueiredo, Gabriela Gastal e Dora Jobim, e produção musical de Fabio Lessa. A cantora Ana Garolina é a convidada na música “Sinais de Fogo”, e o pai e o filho de Preta, Gilberto Gil e Francisco Gil, participam da música “Drão”.

O repertório do DVD segue a linha do ecletismo musical de Preta Gil. Nas 17 faixas, ela lança duas músicas inéditas “Stereo” e “Meu Valor” e desfila desde sucessos de sua carreira como “Sinais de Fogo”, “Andaraí”, “Muito Perigoso”, até sucessos imortalizados por Kelly Key (“Baba Baby”), Perlla (“Tremendo Vacilão”), Seu Jorge (“São Gonça”), Aviões do Forró (“Chupa que é de Uva”), Maria Bethânia (Cheiro de Amor), Psirico (“Toda Boa”), Lulu Santos (“Tempos Modernos”), Paralamas (“Lourinha Bombril”) e Xuxa (“Doce Mel”), entre muitas outras que fazem parte do imenso e divertido repertório da cantora.

"Tenho certeza que esse DVD vai romper com muitos preconceitos, me revelar pra muitas pessoas que não conhecem meu trabalho como cantora. Ele tem a minha cara e a energia do meu show!,” explica Preta, que sobe ao palco acompanhada pela banda formada por Fabio Lessa (baixo), Adal Fonseca (Bateria), Ricardo Marins (Guitarra), Rodrigo Tavares (Teclados) e Rodrigo Reis (Percussão), maquiada por Fernando Torquatto e penteada por Salvador Moretti. E ovacionada por um público cada vez mais fiel e numeroso, que fez da Noite Preta um sucesso nacional.

Preta Gil

Preta Gil nasceu no Rio de Janeiro, no dia 08 de agosto de 1974 batizada Preta Maria Gadelha Gil Moreira, filha de Gilberto Gil e afilhada da cantora Gal Costa. Com um ano de idade mudou-se para Salvador, indo morar depois alguns meses em Los Angeles, quando seu pai gravou um disco com Sergio Mendes.

Sempre interessada por música, lançou seu primeiro disco, intitulado Prêt-à Porter em 2003. As fotos da capa e do encarte, mostrando Preta nua, causaram polêmica na época. O segundo álbum, intitulado Preta, foi lançado em setembro de 2005.

Com apenas oito anos de carreira, Preta Gil vem atuando em diversas áreas, além da musical: atualmente apresenta o Programa de entrevistas no canal de TV a cabo GNT, “Vai e Vem”, e o programa de rádio “Noite Preta FM”, na rádio MPB FM. Fez duas novelas – “Agora é que são Elas”, na TV Globo e “Mutantes”, na TV Record, atuou no teatro com o musical “Um Homem Chamado Lee”, baseado nas composições da cantora Rita Lee, teve um programa na TV Bandeirantes chamado “Caixa Preta”, foi rainha da bateria da Mangueira em 2007, e nomeada madrinha da Lavagem da Madeleine em Paris, em 2008.

No carnaval de 2010, além de ser uma das atrações do Trio Expresso 2222, em Salvador e do Camarote da Brahma, no Rio, Preta Gil comandou também um dos mais animados blocos da folia carioca, o “A Coisa Ta Preta”, que arrastou milhares de foliões pelas ruas de Ipanema.

Site Oficial: http://www.pretagil.com.br

http://twitter.com/PRETAMARIA


Show "Noite Preta" Especial 3 Anos
São Paulo
Local: The Week - Rua Guaicurus, 324. Lapa. Tel: (11)3868-9944 -3868-9944
Dia: 06 de Agosto
Horário: 23 hs
Ingresso antecipado: R$ 40,00

Foto: Divulgação

Tangolomango no Ceará

|

NAS PÁGINAS DA VIDA

27 julho 2010 |


A vida pode ser considerada como um livro. Cada página, uma nova expectativa, novos desafios e situações em que os personagens da história lutam por suas conquistas, enfrentando, a cada passo, a resistência das oposições. Páginas numeradas que delimitam o tempo cronológico da história e, assim, marcam uma época, uma geração. Esta vida que sobrevive aos seus contratempos, encara os seus problemas e guerreia as próprias guerras, além de ter a consciência de que todo o processo ocorrido foi reservado para si, ninguém mais poderia passar pelas mesmas circunstâncias. Outros personagens têm suas vidas, seus livros, suas tramas, episódios roteirizados exclusivamente para eles. Entender o “para quê?” de cada acontecimento é bem mais proveitoso e proposital. O “por quê?” angustia, sufoca, pode até banir o juízo porque procura-se respostas para coisas que não se responde, apenas compreende-se para buscar soluções, estabelecer metas e, com cautela, batalhar a fim de “alcançar o tesouro”.

Os capítulos desse livro trazem novidades, impasses, inimigos, companheiros, indivíduos que surgem na caminhada do protagonista com o intuito de colorir e temperar os episódios. Só o artista principal fica muito chato. Tem que haver mais seres em cena. Trazem novas idéias que estimulam dar seqüência à leitura. Essas idéias podem ser peças fundamentais na resolução de questões nada compreensíveis.

No momento em que os opositores demonstrarem-se fortes e parecer derrotar a vítima, um susto se apodera do leitor, preocupando-o com o resultado. Em cena, tudo pode acontecer. De repente, o inimigo pode estar fortalecido o bastante para vencer “o bem”. Mas acontece que, mesmo “o mal” tendo toda a armadura necessária e tecnologicamente avançada, nem sempre consegue vencer. Aliás, tudo o que é “mal” já nasce derrotado. Contrapartida, o “bem” é gerado com a essência do sucesso, da ascendência, a certeza de conquistas vem junto com ele e a vitória é inevitável. A menos que desista de lutar, se canse da jornada e entregue os pontos ao “bandido”. Mas quem é do “bem”, não “nega fogo” e vai à luta, sabe que já entra em campo de batalha com a vitória nas mãos.

Em todas as histórias, o público leitor torce por um final feliz. E a sua história não é diferente. Os seus admiradores aguardam o seu sucesso como resultado, estão na arquibancada do “Maracanã da vida” gritando por você, frases do tipo “já venceu, já venceu!”. Essa torcida gera forças, te faz sentir-se apoiado e amparado. Ainda existem pessoas sinceras que, mesmo impedidas de atravessar a barreira que separa a arquibancada do campo de batalha (porque se pudessem o fariam), gastam o tempo e a voz para te fortalecer à distância. Se conseguir olhar, vai ver em cada rosto o incentivo, o estímulo e uma certeza: “estou contigo, não desista”. Não reclame da difícil história que você está passando. Lembre-se de que o final feliz dela depende somente do seu esforço. Torcida você já tem. Então, chega de perder tempo com discursos que só impedem chegar ao topo, fale menos e aja em favor da sua própria vida. Sua história também merece ter um final muito feliz. Ganhe tempo pensando nisso.

Moyseis Marques no Botafogo Praia Shopping

|

Dá uma chance

|


Porque você não me dá uma chance
Se não for bom, não te incomodo mais
Eu queria tanto te fazer feliz
Tenho tanto amor pra te dar
Se precisar, conte comigo em qualquer hora, em qualquer lugar
Eu queria tanto te fazer feliz

Faz tanto tempo que eu oro por você
Te quero tanto, tanto que chega até doer
Abre a porta pra esse amor entrar
Deixa eu te amar
Eu sei o segredo de fazer você se apaixonar

*Artista: Henrique Cerqueira
*Foto: Internet

OFICINAS POPULARES DE ARTE EM NITERÓI

|


Aulas de violão e cavaquinho, voltadas para as comunidades carentes da cidade, visando a inclusão social são oferecidas pela Secretaria Municipal de Cultura e Fundação de Arte de Niterói. Para participar é só se inscrever nos locais onde acontecem as oficinas. Os instrumentos são fornecidos pelo projeto e as aulas são gratuitas.

O músico Cássio Tucunduva é o coordenador de três oficinas, com aulas coletivas para iniciantes e iniciados, a partir de 11 anos de idade,

“Tenho alunos de todas as idades e entendo que o método utilizado
ajuda nisso. Começamos ensinando ritmo com os fundamentos de Karl Orff,
as palmas e os gestos sonoros... O mais velho é o Seu Manoelzinho, 72
anos, e o mais novo é o Tiago de 12 anos. Cada classe formada por no máximo
seis alunos com uma hora de aula. Já no primeiro dia tem gente que já sai
tocando canções como “Asa Branca “ou “Parabéns Pra Você”.Priorizamos a
prática sem esquecer os estudos da pauta musical com cinco linhas e a tablatura, uma forma de notação musical que diz ao intérprete onde colocar os dedos em
um determinado instrumento em vez de informar quais notas tocar”, conta Cássio.
As oficinas acontecem nos seguintes endereços:

CASA DO HOMEM DO AMANHÃ
Horário: Todas as terças-feiras, a partir de 03 de agosto de 2010, 13h às
17h / Gratuito
Inscrições: segundas, quartas e sextas-feiras, pela manhã.Terças e
quintas-feiras, no horário comercial
Estrada Washington Luís, 1596, Sapê
(21)2718 – 3457

GRUPO ESPÍRITA PAZ E RENOVAÇÃO - GEPAR
Horário: Todas as quartas-feiras, a partir de 04 de agosto de 2010, 14h
às 16h30 / Gratuito
Inscrições: segunda à sexta-feira, 9h às 15 horas no local
Via Chico Xavier, 4A, Lagoa de Piratininga
(21)2619- 5792

CENTRO CULTURAL ABRIGO DE BONDES
Horário: Todas as quintas-feiras, a partir de 05 de agosto, das 14 às 16h30/ Gratuito
Inscrições: segunda à sexta-feira, 11h às 17 horas
Rua Marquês do Paraná, 100- Centro
(21)2620 – 8169

Foto: Luiz Ferreira

Fernando Barletta e Clara Infante expõem juntos em Niterói

|

Fernando Barletta e Clara Infante apresentam a exposição “Do primitivo ao contemporâneo”, a partir do dia 04 de agosto, às 19h, na Galeria Quirino Campofiorito do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno.

Clara Infante

A artista produz uma série de objetos a partir do papelão e de produtos industrializados consumidos no cotidiano. Seu processo de construção artística implica em cortar, separar, unir, colar, descolar, compor, decompor.

Configuram-se novos significados para o material expurgado de seu sentido primitivo e óbvio. São recriados, situados em um outro lugar. Contemporizam o vazio, o oco, na linha do espaço.

Fernando Barletta

O objeto do cotidiano usado como fonte na criação dos trabalhos desta exposição é o prendedor de roupa.

Desmontados e colocados um a um formam as esculturas desta exposição. São trabalhos onde o artista procurou usar o conceito Readymade, inspirado em Marcel Duchamp, com uma passagem pela história da arte.Esculturas da arte do mestre Picasso. O Homem e o Cordeiro, a arte moderna, a arte abstrata e o construtivismo.

Exposição “Do primitivo ao contemporâneo”
Abertura: 04 de agosto, às 19h
Visitação: 05 a 29 de agosto / segunda-feira, 13h às 17horas; terça a sexta-feira, 10 às 17h; sábados e domingos e feriados, 10 às 15h.
Encontro com o artista: 25 de agosto, às 19h
Local: Centro Cultural Paschoal Carlos Magno – Galeria Quirino Campofiorito
Rua Lopes Trovão, s/n°, Icaraí
Tel.: (21) 2610 – 5748

Azul Music traz dois superlançamentos

|

QUEM SERÁ O ENCALHADO?

26 julho 2010 |


Quando alguém está sozinho, sem um par romântico, logo é taxado como “encalhado”. Desde os tempos mais remotos se usa esse termo para determinar pessoas que não conseguem se encontrar na vida sentimental e passam os dias sem ter com quem compartilhar seus momentos de alegria, choro, conquistas, erros, enfim, desafios que o cotidiano apresenta. Muitas vezes, boa parte destas pessoas já procuraram, se esforçaram, mas só tiveram fracassos. De repente, as escolhas se revelavam, com o passar do tempo, difíceis demais para manter uma boa convivência. Na verdade, não haviam concordâncias suficientes que pudessem garantir um futuro mais promissor. Com isso, o mais correto (seria) desistir da relação e continuar buscando sua metade em algum lugar. Outros, ainda, namoram um aqui, outro ali e não conseguem sustentar o relacionamento, apontando deficiências exageradas nos pares encontrados. Assim também fica difícil. Jamais existirão pessoas perfeitas em todos os sentidos. Sempre cometerão falhas, erros e alguns até gravíssimos porque todas são humanas, passíveis de imperfeições. Então, o jeito é dar atenção para as inclinações do coração. Bate mais forte? Seus olhos brilham? Pensa constantemente na pessoa? Seu comportamento tende a mudar quando estão juntos? Você fica mais tímido, frágil, sensível? Vocês se completam? Se entendem? Vale realmente a pena o tempo que passam juntos? Há amizade e cumplicidade? Se estas respostas forem positivas, não precisa ter dúvidas, é o amor da sua vida. Mesmo que no futuro encontrem dificuldades, o amor vai ajudar a dissipá-las. Ele vai ser a base da construção. Quando existe amor sincero, pode vir a maior tempestade que jamais vai derrubar a casa que construíram na “rocha do amor”.

O mundo vive em constante cobranças. Os pais cobram obediência e a tarefa de casa pronta dos filhos. O Governo cobra impostos. Se passar do prazo, gera multas. Se está sozinho, logo perguntam “onde está a outra metade?”. Parece até que o “coitado” é deficiente. Se casou, logo torcem pelos filhos. Por que ao invés da sociedade cobrar namoro de quem está sozinho não o deixa livre para decidir-se por sua vida? Sossego é algo que todo mundo preza. Com paz, tudo é resolvido com mais facilidade.

Analisando bem a situação, será que o verdadeiro “encalhado” não seria àquele indivíduo unido com alguém que depois de certo tempo demonstrou ser outra coisa, trouxe grandes decepções e ainda mantém uma aparência de casamento sadio? Logo pensam “se eu me separar, o que vão pensar de mim, vai manchar a minha imagem”. E nessa vegetação, fica “encalhado” num relacionamento altamente improdutivo. Isso fere a alma e o coração. Acaba com a verdadeira alegria de viver. É uma doença que não aparece na pele porque se trata de uma corrosão interna. Vale a pena viver assim, encalhado numa situação em que o “entulho” é a falsa aparência? Para cobrar de alguém, é preciso ter certeza de que se está em dia com muitas coisas nesta vida. Pode parecer que não, mas o termo “encalhado”, hoje, recebe novos indivíduos em seu grupo.

Paraíso

|


Eu sei de um lindo lugar
Onde as calçadas não servem de abrigo
Pra criança que alguém rejeitou
Eu sei que neste lugar, não haverá um que seja inimigo
Pois ali só existe amor
Eu só queria entender, gente que sente prazer
Vivendo aqui neste mundo sem paz
Pessoas que pensam ser, donas de todo o poder
Pelo dinheiro que tem prá gastar
Eu vou prá esse lugar,
Onde não há violência nem medo
Nem o sangue inocente se esvai
Eu sei que esse lugar,
Foi preparado prá qualquer pessoa
Que recebe a Deus como Pai
É tão gostoso saber, que ele espera você
Braços abertos amor prá te dar
Jesus morreu por você
Não há mais tempo há perder
Falta tão pouco prá tudo acabar
Jesus é a nossa esperança só Ele é capaz
De transformar a tristeza, num canto de paz
Eu sei que nada acontece sem Ele deixar
Venha correndo prá vida
Que Ele morreu prá te dar
Você precisa entender,
Que nada aqui neste mundo é prá sempre
Cada um vai dar conta de si
É bem melhor garantir
A tua entrada na santa cidade
Só assim vai ser fácil sorrir
Depois é só desfrutar, a paz eterna sentir
Olhar alguém vendo nele um irmão
Vivendo neste lugar
A dor não vai existir
A alegria ao alcance das mãos
Jesus é nossa certeza de um novo amanhã
Com Ele a vida é perfeita, a paz nossa irmã
Eu sei que nada acontece sem Ele deixar
A vida que Ele oferece
Ninguém pode dar

*Artista: Banda & Voz
*Compsosição: Marcos Brito
*Foto: Internet

ALMA DE MENINO

24 julho 2010 |


Nasci...
E naquela quarta-feira do dia 4 de maio de 1977, às 23 horas e 30 minutos, no Hospital Regional Darcy Vargas, em Rio Bonito, interior do Rio de Janeiro, chegava ao mundo um menino que faria diferença. A sensibilidade através de seu olhar e de suas palavras sinceras abençoaria muita gente. Uma infância comum, onde estabelecia elos tanto com adultos como crianças, sempre preservava a amizade e a educação – traços que cativavam as pessoas ao seu redor. Entre suas preferências na TV, A Turma do Balão Mágico e Mara Maravilha: inspirações que perdurariam ao longo de sua trajetória.

Cresci...
Sempre dedicado aos estudos, formou-se em Técnico em Contabilidade em 1994 e em Jornalismo em 2005. Em 1995, sua infância começou a provar os resultados através de suas idealizações. Criou o Projeto Infantil TV Sinai e percorreu muitos municípios do Rio de Janeiro e até o interior de Minas Gerais com várias apresentações em eventos educativos e culturais. Em 2004, lançou um CD dedicado ao público infantil. O álbum de tiragem mínima esgotou. A simplicidade mais uma vez cativou seu público. Chegou a lotar clubes com os shows que fazia. Em 2006, lançou o jornal “Cultura Viva”. O tablóide era distribuído do Centro do Rio até o início da Região dos Lagos, outra grande idéia! Desde julho de 2008, o jornal se encontra na internet: uma forma de mostrar ao mundo seu trabalho. Em fevereiro de 2002 sofreu um acidente vascular, ao dormir, provocado por pressão arterial alta e os próprios médicos chamaram a família para avisar que o rapaz não duraria muito tempo. As orações ajudaram o jornalista a ressurgir. Perdeu memória, coordenação motora, uma vista; ficou cinco dias em coma e dois meses de repouso quase que absoluto. Mas, tudo foi recuperado e hoje é uma pessoa saudável. Uma segunda chance para a vida.

Sonhei...
Sempre sonhador, alcançou altos patamares, sem exaltações ou presunções. Inconformado, pretende alcançar muitos outros objetivos e, para isso, apóia-se em sua fé em Jesus Cristo – o Maior Herói de sua história. Mesmo hoje com 33 anos, Edson Soares ainda conserva uma “Alma de Menino” e tem ligação direta com as crianças. Em todo o lugar que vai (sem exceção de nenhum!), tem sempre um pequenino que o descobre. Como a Bíblia diz, “feliz aquele que trilha caminhos retos”. Viva, Edson Soares!... A vida quer você por aqui!

E NA HORA DA DESPEDIDA...

|


Perder alguém que muito se ama dói na alma, fere o coração, destrói parte dos sonhos e das intenções. Esse fato traz angústia, tristeza, choro. Um aperto muito forte no peito tenta sufocar o fôlego que ainda resta. Ao rodar a sala, o quarto, a cozinha, a varanda e outros cômodos da casa, é fácil sofrer com o vazio que veio residir no ambiente. Em troca da vida, a ausência. Apesar da dificuldade em lidar com esse momento, resta preservar as lições deixadas por quem partiu, seguir seus exemplos, manter viva a memória pelo o que representava e insistia em ser, sem esforço. O tempo dedicado ao choro “lava a alma” e limpa as sujeirinhas que ficou, tudo precisa estar transparente, esclarecido. Mágoas, agora virou coisa do passado, estão trancafiadas lá atrás, não tem como levantarem-se, o melhor é sepultá-las. Não adianta mais dar-lhes espaço, o “outro” já se foi, não pode mais defender-se, não existe mais uma segunda voz que pode gritar, questionar, implorar, enfim, dialogar. Ficou somente a lembrança, o que representava para a família e a sociedade. Juntos, todos que o amavam devem criar um memorial de suas idéias, suas paixões, seus desejos que não deram tempo de serem alcançados e as metas que estavam em processo, rumo ao ponto definido.

Na verdade, ninguém está preparado o suficiente para encarar a "hora da perda". Encara-se os supostos inimigos, a crise financeira, os boatos, as tensões provocadas pelas fofocas, mas entender que alguém muito querido foi e não volta nunca mais, é muito difícil. Com o passar do tempo, conforma-se. Agora, aceitar, definitivamente, impossível. Apenas, compreende-se, a vida é assim. Fazer o quê? Resta para quem ficou, ainda no barco, sacudir a poeira dos pés cansados de trilhar milhas nesta vida, erguer a cabeça e prosseguir a caminhada, certo de que ao lado existem ainda amigos e pessoas sinceras, dispostas a prestar auxílio na condução.

Parece que é o fim. Só parece. Logo ali, mais à frente existem outros combates, maiores desafios, momentos de lutas e de vitórias que vão ocupar o tempo, a consciência e gerar vontades em quem ficou. Com certeza, quem se foi estaria muito triste sabendo que os seus amados vivem chorando e lamentando a sua perda, afinal de contas cada um tem a sua missão para cumprir em um tempo determinado. O tempo de exercício de um é bem diferente do outro. É fácil concordar que só sabe da dor quem já enfrentou uma situação como esta, mas a mensagem quer apenas dizer que ainda existe vida, fôlego e condições diversas para vencer os contratempos. Então, chegou a hora de procurar entender o contexto e prosseguir. A vida continua, basta querer estar vivo, sofrendo ou em abundância, o que importa é estar de pé. Desigualdade social sempre existiu e não vai ser ela a vilã superpoderosa capaz de derrotar um ser que pensa, pode agir e mudar todo o rumo de uma história. Pense nisso.

Exposição fotográfica Orquestra de Cordas da Grota

|

Com a proposta de recontar a história da Orquestra de Cordas da Grota, será inaugurada, no dia 03 de agosto, na Sala Carlos Couto, uma exposição fotográfica, coordenada pelo fotógrafo Humberto Medeiros. A mostra terá o eixo cronológico bem definido pelos três momentos propostos.

“Garimpamos fotos com mensagens fortes e que exprimem bem o espírito do projeto, desde a horta até os dias atuais no Espaço Cultural da Grota. É o retrato do sonho realizado, daquilo que muitos acreditavam que poderia acontecer e, de fato, aconteceu. E estará tudo devidamente registrado na exposição”, conta Humberto Medeiros.

A Orquestra

Da horta do quintal de Dona Otávia Selles, na favela da Grota do Surucucu, nasceram muitos e bons frutos. No espaço onde, desde os anos 80, a professora dedicava parte do seu tempo a aulas de reforço escolar; costura; artesanato, além das de plantio, para ocupar o tempo ocioso de crianças e jovens, se enraizaram fortes ideais de inclusão social e cidadania.

Além de ver a família da horta e dos demais ofícios crescer, dia a dia, foi nesse mesmo quintal que dona Otávia também incentivou e viu nascer o trabalho de educação musical pelas mãos do seu filho, o músico Márcio Selles e de sua nora, a também musicista, Lenora Mendes. As aulas de flauta doce cativaram, mas foi do encantamento pelo som do violino que surgiu a Orquestra de Cordas da Grota.

O projeto social, que já recebeu mais de 750 crianças e jovens e atende, hoje, mais de 250, na Grota e em algumas comunidades vizinhas, funciona no Espaço Cultural da Grota. Lá também acontecem aulas de viola, violoncelo, violão, cavaquinho, flauta transversa, percussão e canto coral. Sem deixar de chamar a nova sede de horta, a família da OCG se orgulha de ser repleta de pessoas que, efetivamente, cresceram e encontraram nos ofícios ensinados, motivos de transformação das suas vidas.

Exposição fotográfica Orquestra de Cordas da Grota: 15anos, antes e depois.
Abertura: 03 de agosto, às 19h
Visitação: 04 a 29 de agosto
Horário: terça a sexta das 10h às 18h; Sábados, domingos e feriados das 15h ás 18h
ENTRADA FRANCA
Local: Sala Carlos Couto
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro de Niterói (anexo ao Teatro Municipal).
(21)2620-1624

Tô fazendo falta

|


Ontem te encontrei
Você estava tão bonito
Demais!
Parecia até que
Nada aconteceu...

Jeito de quem está feliz
De quem está
De bem com a vida
Sei lá!
Mas alguma coisa
Não me convenceu...

E ainda faz de conta
Que não está nem aí prá mim
Mas você não me engana
Sei que você ainda tá afim
Me diz prá que fazer assim?

Você pode ter um tempo
Prá pensar
E uma eternidade
Prá se arrepender
Tá na cara
Dá prá ver no seu olhar
Tô fazendo muita falta
Prá você...

É loucura não ouvir o coração
Desse jeito a gente pede
Prá sofrer
Eu não quero te ver
Na solidão
Tô fazendo muita falta
Prá você...

*Artista: Joanna
*Foto Internet

Dia de Paraíso

23 julho 2010 |


Dia de paraíso, meu castelo é no luar
Sonho com você, não quero nunca mais acordar

Eu não sou atrevida, mas na hora de dançar,
Se é com você, a música não pode parar

Me pega, me leva, me roda, me joga pelo ar
A festa começou agora e não tem hora de acabar
A lua tão cheia, estrelas caindo devagar
O sonho vai durar a noite inteira

Gatinho, gatinha, fazendo gracinhas mil miaus
Caramba não é carambola ou outra fruta tropical
Cola coladinha, safa safadinho genial
O sonho vai rolar a noite inteira

Tudo é fantasia, tudo é carnaval
Juntinho de você, não há mal tempo nem temporal

Eu não sou atrevida, mas na hora de dançar,
Se é com você, a música não pode parar

*Artista: Os Abelhudos
*Foto: internet

ALCIONE FAZ LANÇAMENTO DO DVD "ACESA" NO VIVO RIO

22 julho 2010 |


"ACESA", o último trabalho de Alcione em CD, ganha formato audiovisual: o primeiro DVD da artista gravado no Maranhão. E para celebrar o quinto (DVD) de uma trajetória de quase 40 anos de sucesso, com 36 álbuns, discos de ouro, platina, platina dupla, e inúmeros prêmios importantes, como os Tim de Música, Sharp e um Grammy Latino, a Marrom agendou o lançamento de "Acesa" para os dias 12 e 13 de agosto, no VIVO RIO. A intérprete, acompanhada pela Banda do Sol, contará com as participações dos dançarinos de salão Marcelo Chocolate e Sheyla Aquino (e pupilos de suas academias, que também participaram da gravação em São Luis). A direção musical será do maestro Alexandre Menezes, que faz parte da banda que acompanha a Marrom "pelos quatro cantos do planeta", como gosta de enfatizar.

O novo DVD, com músicas do CD lançado no segundo semestre do ano passado, como a faixa-título assinada por Telma Tavares e Roque Ferreira ("Acesa"), também reedita hits de carreira, como "A Loba" (Paulinho Rezende/ Juninho Peralva), "Valeu Demais" (Leandro Lehart), "Meu Ébano" (Nenéo/Paulinho Rezende) e "FlaxFlu" (Arlindo Cruz/Franco); traz canções que Alcione sempre sonhou em registrar mas que nunca havia gravado, como "Beijo Roubado" (de Adelino Moreira, sucesso de Ângela Maria) e "Malaguena Salerosa" ( Elpídio Ramirez/ Pedro Galindo).

No DVD (e não no show de lançamento), participações do Grupo Revelação ("O samba me chamou", de Marquinho PQD/Sombrinha), e de Simoninha ("Chutando o balde", de Nei Lopes) - que também deram sua cota de contribuição no CD. Além da presença "obrigatória" de alguns grupos de talentosos conterrâneos, como o "Coral de São João" e do "Boizinho Barrica" em canções do folclore local. Fora a alegria contagiante do "Bicho Terra" que incendiou a superlotada Praça Maria Aragão, com músicas do carnaval maranhense. Vale registrar que Alcione bateu o recorde de público levando cerca de 60 mil pessoas à tradicional Praça - acostumada a receber multidões em eventos musicais de todos os tipos e os artistas mais consagrados do país inteiro.

Além das músicas supracitadas, a primeira faixa de trabalho do DVD que já está indo para as rádios, "Dama da Paixão", de Jefferson Junior e Humberto Tavares, "Eu não domino essa paixão" (Paulinho Rezende/ Nenéo), "Eu vou pra Lapa"(de Serginho Meriti e Claudinho Guimarães - um dos temas da trilha sonora de "Caminho das Índias"), "O Sonho dos Justos" (Marcus Lima/Márcio Proença), "Não peça pra ficar" (Valtinho Jota/Andréa Amadeus) e "Eternas Madrugadas" (Fred Camacho/Cassiano Andrade) estarão no roteiro musical do show de lançamento no VIVO RIO.

"Acesa", o novo DVD da cantora, estará nas lojas a partir de agosto e o lançamento oficial, dias 12 e 13/8, no VIVO RIO, será o pontapé inicial para as turnês nacional e internacional que a intérprete já está confirmando. O que quer dizer que a cantora continuará "acesa e iluminando" muitas e muitas platéias pelo mundo afora...como sempre, aliás!

Foto: Divulgação

'O RICO AVERENTO' NO MUNICIPAL DE NITERÓI

|


A peça O Rico Avarento e outras histórias de Ariano Suassuna faz temporada no Teatro Municipal de Niterói, de 07 a 29 de agosto, às 16h. O espetáculo reúne dois textos de Ariano: "O Rico Avarento" e "O Homem da Vaca e o poder da Fortuna". A peça pretende, de forma despojada e lúdica, evocar o universo imaginário nordestino, dando ênfase ao jogo e ao humor popular presente nos textos. Os textos são ligados por músicas populares.

Tendo como base a literatura de cordel e as novelas populares, O Rico Avarento e outras histórias de Ariano Suassuna foi criado a partir de duas entremezes curtas escritas para o teatro de bonecos: O Rico Avarento e O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna.

A primeira delas tem como protagonista o Tira-Teima: Um homem simples e desempregado, porém muito esperto que consegue trabalho na casa de um velho rico e avarento. Em seguida é a vez de O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna, adaptação de um folheto de Francisco Sales Areda, e de um romance ibérico. Esta peça foi base para a autoria de A Farsa da Boa Preguiça. O protagonista é o poeta e cantador Joaquim Simão, pobre e preguiçoso, que vive com sua mulher e mais dez filhos num casebre.

Sendo assim, as duas peças retratam, através de brincadeiras lúdicas e cantigas do cancioneiro popular, o cotidiano do povo nordestino. O Rico Avarento e outras histórias de Ariano Suassuna não é apenas um espetáculo infanto-juvenil, devido a forma com que é encenado – estética do conta e faz – e a presença de uma moral no final da história, mas também um espetáculo voltado para o público adulto, representado, em grande parte, pelos pais das crianças e jovens que vão assistir, onde a obra de Ariano Suassuna é encenada de forma convidativa.

O Rico Avarento e outras histórias de Ariano Suassuna – Teatro Municipal de Niterói
Datas: 07 a 29 de agosto
Horário: 16 horas
Duração: 60 min.
Classificação etária: Livre (crianças menores de 10 anos, somente acompanhadas dos pais)
Ingresso: R$ 20,00 (inteira)
R$ 10,00 (meia entrada crianças, estudantes e idosos)
R$ 16,00 (filipeta)
Local: Teatro Municipal de Niterói
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói
Tel: (21) 2620-1624

Foto: Fernando Seco

'HAMLET CAÓTICO' NA REDE TEATRAL DO SESC-RIO

|


A Companhia Bem Brasil depois do reconhecimento do longa: "Trilhos de Sangue" no Festival de Cinema Afro Carioca em 2009, já está em ritmo de contagem regressiva para estrear em breve o espetáculo: " HAMLET CAÓTICO" com um texto de: Damnus Vobiscum, direção de: Wavá de Carvalho, trazendo no elenco: Lino Corrêa, Gabriel Beck, Elisângela Ferreira, Italo William, Luana Mitchell, Luciano Cachimbo, Ismael Costa e outros. O diferencial desse espetáculo levará uma releitura com efeitos multimidia que, com certeza, tocará as platéias da rede de teatros do Sesc do Rio de Janeiro, indo depois viajar para outros estados brasileiros.

***Na foto em destaque, os principais atores do elenco de "Hamlet Caótico"

Foto: Anderson Macedo

ESTÁGIO SILÊNCIO

21 julho 2010 |


Quando as respostas deveriam vir... Silêncio. Justamente na circunstância em que o ser mais precisa de solução, tudo emudece. O quadro que se apresenta é de perda total: nada favorece, tudo o que surge são meros sinais decepcionantes. Para os mais fracos, o desejo pelo óbito e, em alguns casos, de fato acontece. Já os que acreditam na vida, enfrentam as batalhas, sofrem, sangram e, mesmo feridos, cumprem a missão até o fim. Alguns terminam a carreira sem degustar o mel da vitória; outros chegam a tanto e, então, expiram, realizados.

Nesse “estágio silêncio” cabe ao ser também silenciar. De que adianta fazer barulho se a vida ainda não tem o que dizer? A ela ainda não foi ordenada, pelo Tempo, apresentar uma saída para o diagnóstico que se apresenta. Logo, o mais prudente se faz procurar um local de repouso e descansar; ali será o altar da auto-análise; comparar evidências; repensar sua história. Todo o pranto pelas faltas cometidas e excessos devem ficar nesse lugar: as lágrimas, ao caírem exatamente no chão, irão regar as sementes que estão para brotar repletas de vitalidade e vão florescer como o campo na primavera.

Como todo vale representa uma fase, esse estágio prepara o ser para um novo patamar. Por certo, exclui o choro e os questionamentos. Se ainda vive, numa meia-volta do globo terrestre, as pendências serão resolvidas e as causas, atendidas. Se a situação continuar da mesma forma significa que o tempo total ainda não decorreu. Mas, vai passar, sem dúvidas. É um curso natural da vida e isso não depende de ninguém.

MIGUEL NADER EM ITABORAÍ

|

Menino de brinco

|


Quero lembrar
Daquele tempo
Compreender
Todo o sentido
De ter alguém em quem confiar
Sem ter que estar na prisão do amor

Quero te ver
Sem nenhum motivo
Vou te seguir
Mesmo à distância
Poder te ter
Sem te possuir
Telefonar às três da manhã!

Você é meu amor amigo
Quero poder contar contigo
Meu menino de brinco
Te contar o que é que eu sinto

Meu amor amigo
Sem prisão,sem correr perigo
Meu amor
Pra durar a vida inteira!

Vou conseguir
É com você que eu quero estar

*Artista: Mara Maravilha
*Foto: Internet

Por que desesperar?

|


Ei, ei você
Porque não levanta a cabeça
Não, deixe não de lutar
Mesmo que amanheça
Fé nessa forma de luz
Chamada Jesus
Que nos dá certeza
De vida feliz
Acreditar que o amor
É bem mais que palavras
Pois é, é viver, é agir
Sobre a vida infeliz

Se dessa vez não deu certo
Porque desesperar
Se a vida continua ainda
E tem um Deus a lhe ajudar?

*Artista: gupo Semeando
*Composição: Geazer Jr.
*Foto: Internet

NITERÓI GANHARÁ TEATRO DE BONECOS

20 julho 2010 |

A Companhia de Títeres Bonecos de Madeira, a Prefeitura de Niterói, Secretária de Cultura de Niterói e Fundação fizeram uma parceria e levarão para as praças da cidade espetáculos gratuitos para toda a família nos dias 01, 08, 15 e 17 de agosto.

Em breve, a cidade ganhará o primeiro Teatro de Bonecos Maria Mazzetti em um espaço fixo em uma praça da cidade, para apresentações de espetáculos de títeres. A concepção do espaço segue exemplo das estruturas do guignol francês; uma torda de madeira com um pequeno tablado á frente.

O projeto também contará com oficinas, exibição de vídeos e muito mais coisas deste mundo encantador e vasto dos títeres.

01 DOMINGO
Joana e a Fúria de Chinelão
Projeto Titeretando / Cia de Titeres Bonecos de Madeira
10h30 / Gratuito Centro Cultural Paschoal Carlos Magno- Varanda
Campo de São Bento
Rua Lopes Trovão , s/n - Icaraí
(21) 2610-5748

08 DOMINGO
O Encontro da Quaresma com o Carnaval
Projeto Titeretando / Cia de Titeres Bonecos de
11h / Gratuito
Parque Palmir Silva
Rua Dr. Luiz Palmier , s/n – Barreto

15 DOMINGO
Contos do Brasil
10h30 / Gratuito
Projeto Titeretando / Cia de Titeres Bonecos de MadeiraCentro Cultural Paschoal Carlos Magno- Varanda
Campo De São Bento Rua Lopes Trovão , s/n- Icaraí
(21) 2610-5748

17 TERÇA-FEIRA
Separacion
20h / Gratuito
Projeto Titeretando / Cia de Titeres Bonecos de Madeira
Centro Cultural Abrigo Dos Bondes
Rua Marquês de Paraná, 100 – Centro
(21) 2620-8169

'Hora do Twitter' estreia na MPB FM

|

Tom Zé no Comitê

19 julho 2010 |

O cantor apresenta na casa Comitê o show "O Pirulito da Ciência"

“É permitida e autorizada a entrada de adultos no show, já que este Pirulito democratiza as faixas etárias e não se destina exclusivamente às crianças”.

O cantor apresenta esse show especial, que é mostra ao público a espinha dorsal de sua carreira. A apresentação retrata seu caminho artístico, com canções que se popularizaram e também aquelas que marcam suas decisões de percurso e escolhas estéticas. É o registro da produção artística e da viagem de um dos artistas mais singulares do Brasil

O show deu origem ao dvd e ao cd da gravadora Biscoito Fino. O dvd está sendo transmitido pelo Canal Brasil e foi dirigido por Charles Gavin, músico dos Titãs e pesquisador da mais interessante música popular brasileira.

Entre as canções, Augusta, Angélica e Consolação; Nave Maria; Parque Industrial; São São Paulo; Classe Operária; Menina Jesus; Faça suas orações; Roquenrol Bim-Bom; O céu desabou.

Tom Zé se apresenta com a banda que o acompanha com tanta competência: Lauro Léllis, bateria; Cristina Carneiro, teclado/voz; Daniel Maia, guitarra/voz; Renato Léllis, baixo/voz; Jarbas Maria, percussão/cavaquinho/viola 12 cordas/voz; Luanda, vocalista. São músicos à altura das transformações que o artista opera em pleno palco, de surpresa, nas canções e interpretações.

O importante, diz Tom Zé, é “fazer da vivacidade do espetáculo uma companheira que belisque o cognitivo da platéia. É uma característica características nossa, dos brasileiros. Essa tarefa é uma herança da prática nordestina de agir com generosidade com a platéia... E é o meu jeito de ser brasileiro.”

Tom Zé no Comitê
Rua Augusta, 609 - São Paulo – SP
Dia 24 de julho de 2010, quinta, às 0h
Duração: 90 min (aproximadamente)
Ingressos: R$ 30,00 – vendido com antecedência pelo www.ingresso rápido.com.br
(11) 3237 3068 - 3237 3068

É tarde demais

|


Olha só você
Depois de me perder
Veja só você
Que pena!...

Você não quis me ouvir
Você não quis saber
Desfez do meu amor
Que pena! Que pena!...

Hoje é você
Quem está sofrendo amor
Hoje sou eu quem não te quer
O meu coração
Já tem um novo amor
Você pode fazer o que quiser...

Você jogou fora
O amor que eu te dei
O sonho que sonhei
Isso não se faz
Você jogou fora
A minha ilusão
A louca paixão
É tarde demais...

Que pena!
Que pena, amor!

*Artista: Raça Negra
*Composição: Luiz Carlos / Elias Muniz
*Foto: Internet

Festival Niterói de Esquetes 2010

18 julho 2010 |


O Festival acontecerá, nos dias 29, 30 e 31 de julho e 01 de agosto, às 19h no Teatro Municipal de Niterói, com o objetivo de divertir, divulgar os trabalhos locais e criar oportunidades de amadurecimento para os grupos e companhias do município. O Festival abre um espaço de intercâmbio entre artistas, público, produtores e críticos.

Idealizado, em 2005, pelo produtor Fabio Fortes que resolveu inserir Niterói no roteiro de encontros teatrais do país, o projeto proporciona o encontro e a troca de experiências entre artistas e produtores culturais vindos de diferentes municípios. A primeira edição foi realizada em agosto de 2008, a segunda em dezembro de 2009. Inscreveram-se, este ano, 120 grupos de cinco estados diferentes (RJ, SP, MG, PR e SC) provando que o Festival de Niterói é um sucesso nacional.Serão apresentados 30 esquetes, de no máximo 15 minutos e de diferentes gêneros: comédia, tragédia, melodrama, teatro dança etc., criando assim, um panorama do pensamento teatral praticado pelos teatros de todo o Brasil.

Oito esquetes serão selecionados para a final e se reapresentarão no domingo (01/08) para que o público tenha oportunidade de rever os melhores na opinião dos jurados. Outra novidade é que no sábado (31/07) acontecerá a festa do Festival Niterói de Esquetes 2010 (aberta ao público), no espaço Convés no Gragoatá, a partir das 23h, onde artistas, público, jurado, críticos e a produção do festival celebrarão o encontro, a arte e, principalmente, o Teatro. Na festa serão divulgados os finalistas e os indicados aos prêmios.

A premiação será em dinheiro e troféus para os três melhores esquetes. Serão oferecidos troféus para melhor direção, ator e atriz, especial do júri, júri popular, texto original e caracterização.

Festival Niterói de Esquetes 2010 – Teatro Municipal de Niterói
Data: 29 a 31 de julho e 01 de agosto
Horário: 19h
Valor: R$15(inteira) / R$7,50(meia)
Classificação etária: Livre
Local: Teatro Municipal de Niterói
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói
(21) 2620-1624

Festa do Festival de Esquetes 2010 - Espaço Convés
Data: 31 de julho (sábado)
Horário: 23h30
Endereço: Rua Coronel Tamarindo, 137

Foto: Divulgação

Em Julho na Galeria Virgilio…

|





Felicidade

|

Balão Mágico Simone1

 

Gosto dos teus olhos faróis
Gosto dos teus lábios de mel
Gosto dessa música
E sua voz
Gosto de voar nesse céu

 

Gosto dos teus sonhos azuis
Gosto do teu jeito de paz
Todas essas cores da sua luz
Gosto gosto muito demais

 

Gosto muito do teu riso
Do teu jeito de falar
Gosto tanto tanto
Eu preciso
Eu preciso te encontrar

 

Felicidade
Felicidade
É tão bom te ver
Chega mais pertinho
Faz um carinho
Gosto de você

 

*Artistas: A Turma do Balão Mágico com a participação especial de Simone

*Composição: Mauro Motta / Edgard Poças

*Fotos: Internet

LaParadiso na Fundição Progresso

16 julho 2010 |

'VENTO DO MAR' PREMIA JORNALISTAS

|


O jornalista e escritor Gianni Miná foi homenageado na quarta-feira (dia 14 de julho), no Auditório da Embaixada brasileira em Roma, com o "Prêmio Vento do Mar", por sua atuação na promoção da cultura brasileira. Desde 1983, quando a música brasileira ocupou espaço nas televisões e na alma italiana.

O Prêmio "Vento do Mar" será conferido à jornalistas e escritores, anualmente, a partir deste ano, pela Embaixada do Brasil na capital italiana.

Em seu delicioso discurso de agradecimento, contou histórias fantásticas de uma época que, dificilmente, veremos igual.

No Restaurante El Mouro, local em Roma onde se reunia com Chico Buarque, Vinicius de Morais, Tom, Toquinho, Sergio Endrigo, Sergio Bardotti, a conversa ia longe. Assunto não faltava (literatura, arte, mulher, futebol,etc). Uma convivência do tempo em que Chico viveu em Roma. Aliás, segundo Gianni, o dono desse restaurante inspirou Fellini quando compôs o principal personagem de Satyricom. Foi nesse tempo, do El Mouro, que Vinicius conheceu Ungaretti, o mais reconhecido poeta italiano da década de 90.

A Itália, pelos olhos de Miná, ficou sabendo que o Brasil vivia um tempo de intensa criatividade. A RAI era "a voz do Brasil" nos quesitos música, literatura, cinema e arte nos anos 80 e 90.

A lendária empresária brasileira Léa Millon foi a grande parceira de Gianni no Brasil. Ela, Caetano, Gil e Chico conviveram com Mina e poderão confirmar os depoimentos deste "senhor dos sonhos" que, ainda hoje, mantém um novo olhar sobre uma América do Sul generosa que “ faz a gente ver o mundo com mais esperança”, conforme relatou em seu discurso durante a premiação.

"Vento do Mar", a festa brasileira na Ilha de Capri, será realizada entre 19 e 24 de julho. Música, artes plásticas, exposições, cinema. Cultura brasileira para italiano ver e ouvir. Fafá de Belém, Leila Pinheiro, Bruce Henri, Jim Porto e Felicidade Suzy (os dois últimos, residentes em Roma) farão espetáculos em homenagem a alguns dos nossos mais importantes compositores, como Chico Buarque, Tom Jobim, Baden Powell e Vinícius de Moraes.

'Fala Comigo como a Chuva' na Caixa Cultural

15 julho 2010 |

A partir do recorte da vida de um casal em um pequeno quarto, sonho e realidade pontuam falas, silêncios e desejos. Do lado de fora, há o céu cinzento carregado de chuva que ainda não começou a cair. Entre eles, a situação-limite de uma relação, condição de incomunicabilidade que parece inalterável. Até que a chuva cai e os universos pessoais de cada um começam a ser revelados. Essa é a trama do espetáculo “Fala Comigo como a Chuva”, que a Companhia Teatro Adulto apresentará em curta temporada, de 28 de julho a 01 de agosto de 2010, na CAIXA Cultural Rio de Janeiro.

A peça mostra um homem e uma mulher que, apesar de jovens, falam com desilusão de sua existência, da solidão em que estão mergulhados e da incapacidade de mudar suas vidas. A montagem coloca o público bem próximo aos atores para acompanhar de perto um dia na vida desse casal. Em cena, Luiz Arthur (de “Noites Brancas”) e Samira Ávila (de “Por Elise”) sob a direção da atriz Cynthia Paulino (de “Amor e Restos Humanos”).

“Fala comigo como a chuva” estreou em maio de 2008, em Belo Horizonte (MG), onde cumpriu três temporadas de sucesso. Realizou ainda uma turnê bem sucedida pelo interior de Minas Gerais e lotou todas as sessões da temporada realizada na CAIXA Cultural Curitiba.

Dentre mais de trezentos espetáculos na programação do Festival de Curitiba 2009, “Fala Comigo como a Chuva” foi eleito pela imprensa nacional especializada o melhor espetáculo do Fringe. A montagem recebeu, também em 2009, os Prêmios SESC/SATED-MG e USIMINAS-SINPARC de Melhor Atriz para Samira Ávila.

FICHA TÉCNICATextos – Tennessee Williams
Tradução – Maria do Carmo Ávila
Direção – Cynthia Paulino
Elenco – Luiz Arthur e Samira Ávila
Ator – Luiz Arthur
Atriz – Samira Ávila
Direção de Arte (Cenário e Figurino) - Cynthia Paulino e Paolo Mandatti
Criação de Luz – Telma Fernandes
Preparação Corporal – Mônica Ribeiro
Seleção Musical - Cynthia Paulino
Fotografia: João Marcos Rosa
Produção Executiva – Banalísssima Arte
Realização - Companhia Teatro Adulto

Espetáculo: Fala Comigo como a Chuva
Duração: 50 minutos
Local: CAIXA Cultural RJ – Teatro Nelson Rodrigues
Endereço: Av. República do Chile, 230, Centro (Próximo ao Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 2262-8152 - 2262-8152
Curta temporada: De 28 de julho a 01 de agosto de 2010 (de quarta a domingo)
Horário: 19h30
Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)
Horário da bilheteria: 15h às 20h
Classificação: 12 anos
Capacidade: 388 lugares (sendo 02 para cadeirantes)
Acesso para pessoas com deficiência

TECENDO

14 julho 2010 |


Vida simples
Simples no desenrolar
Desenrolar os instantes
Instantes firmes e consistentes
Consistentes nos atos e nos fatos
Fatos que maravilham e constrangem
Constrangem o olhar
Olhar o mundo de um jeito particular
Particular na forma e no conteúdo
Conteúdo de quem vai tecendo
Tecendo sua história como um imenso livro
Livro de algumas páginas
Páginas viradas ou reviradas
Reviradas por pessoas que passam curiosas
Curiosas em descobrir o íntimo
Íntimo que corresponde somente a si
Si de mim mesmo
Mesmo que me abra
Abra o leque e solte as pétalas
Pétalas sinônimos de causas
Causas de um ser que vive
Vive enfim

'Sonho de uma noite de verão' em Rio Bonito

|

SONHO1

Marisa Monte na MPB FM

|

ANGÉLICA CASTELHANO E O INESQUECÍVEL ‘SHOW MARAVILHA’

13 julho 2010 |

Ela fez parte da infância de muita gente. Todos os dias coloria a tela da TV no “Show Maravilha” – programa exibido pelo SBT de 1987 a 1994 – na companhia de suas amigas que faziam parte dos grupos Trio Maravilha e As Maravilhas. Assistentes da baianinha Mara Maravilha, as moças animavam os milhares de telespectadores com charme, elegância e muito talento através das músicas e coreografias que apresentavam em todas as edições do programa. Hoje, adulta, Angélica Castelhano, 35 anos, advogada e enserida no mercado de trabalho na área de metalúrgica e importação, vive um novo tempo em sua vida.

 

Mesmo atarefada, a jovem reservou um pouco de seu precioso tempo para uma entrevista exclusiva para o CULTURA VIVA. Valeu o carinho, Angélica!

angélica

CULTURA VIVA: Angélica, como você se tornou assistente de palco do "Show Maravilha"? Participou de alguma seleção?

ANGÉLICA CASTELHANO: Estava no SBT para gravar um especial de Dia das Crianças da “Praça é Nossa” e a Marileide, mãe da Mara, me viu no corredor e me chamou para fazer um teste. No outro dia já estava gravando e, com o decorrer das semanas, fui fazendo testes de dança, fotogenia, entre outros. Em um mês já estava fixa no programa.

C.V.: Como avalia o tempo em que trabalhou com a Mara Maravilha e a experiência vivida depois no grupo Trio Maravilha? Sente saudades?

A.C.: O tempo em que trabalhei com a Mara foi de grande aprendizado, criei responsabilidades, fiz grandes amigos, amava o que fazia. Com as meninas do Trio a mesma coisa... Éramos e somos até hoje muito amigas, sinto saudades, porém sei que encerramos um ciclo e hoje estamos em uma outra etapa de nossas vidas.

C.V.: Qual o fato mais marcante que você destaca daquela época?

A.C.: Tudo marcava. A cada disco que saia novo da Mara era uma grande expectativa.... Coreografias novas, gravação... Mas, o que mais nos marcava eram os shows que fazíamos Brasil e América Latina afora... Para nós era pura diversão... Adorávamos!

C.V.: E como eram os bastidores? Muita correria?

A.C.: Os bastidores eram incríveis. Encontrávamos pessoas que tínhamos como ídolos na época, fizemos grandes amizades... A correria chegava ser engraçada... Maquiagem... Cabelo... Antes do Trio, eu era borboleta: ficava horas pregando minhas antenas e procurando minhas asas! (risos)

C.V.: Durante quanto tempo você foi Maravilha e por que desistiu?

A.C.: Fiquei cinco anos trabalhando com a Mara no “Show Maravilha”, sendo que dois anos foram de Trio Maravilha. Saí para me dedicar aos estudos, fazer uma faculdade.

 

 

Trio Maravilha

C.V.: Hoje atua em que área profissional e por que a escolha?

A.C.: Sou formada em Direito e fiz pós-graduação em Processo Penal. Trabalhei pouco tempo na área. Hoje faço MBA em Gestão Empresarial na FGV e trabalho com indústria metalúrgica e importação. Optei em largar a advocacia para dar andamento nos negócios da família.

C.V.: Além de dançar, você sabia que já tinha talento também para a música? Encontrou dificuldades quando chegou a hora de gravar o disco?

A.C.: Nunca fui uma grande dançarina e uma grande cantora. As coreografias eram básicas e a voz fomos aperfeiçoando com muita aula de canto e música.

C.V.: Você tem contato com alguns fãs hoje? Eles fazem algum tipo de cobrança?

A.C.: Tenho contato virtual com vários. Temos uma comunidade no Orkut... Acho bem bacana! Não temos cobranças, apenas uma relação de amizade , admiração e respeito mútuo.

C.V.: Ainda mantém contato com a Mara e os colegas de trabalho da época, como as outras Maravilhas, os Marotos, os diretores, os produtores e a equipe técnica?

A.C.: Tenho um contato bastante próximo especialmente com a Mara, sempre nos vemos e nos falamos. Sou madrinha de casamento da Dani Parada, sempre nos falamos também. Valesca vejo bem menos, mas quando nos encontramos tudo vira festa! Os Marotos e a equipe técnica tenho muito pouco contato.

C.V.: Que recado você deixa para o público que curtia e guarda no coração o Trio Maravilha?

A.C.: Gostaria de agradecer demais cada um deles , dizer o meu “muito obrigada!” por terem feito parte desta fase tão maravilhosa. Obrigada pelo carinho, atenção , pelas mensagens que recebo... Obrigada de coração!

 

 

Foto1: Arquivo pessoal de Angélica Castelhano

Foto2: Capa do LP “Trio Maravilha” (Angélica é a primeira à direita)

QUEM INDICA O QUÊ – ANGÉLICA CASTELHNO

|

angélica

 

QUEM? Angélica Castelhano.

OCUPAÇÃO: Ex-integrante do grupo Trio Maravilha.

INDICA O QUÊ? O livro “Comer, Rezar e Amar”, da autora Elizabeth Gilbert.

SUA OPINIÃO: Segundo a sinopse, Elizabeth Gilbert, quando completou 30 anos, tinha tudo que uma mulher americana moderna, bem-educada e ambiciosa deveria querer - um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso. Mas não se sentia feliz - acabou pedindo divórcio e caindo em depressão. “Comer, Rezar, Amar” é o relato da autora sobre o ano que passou viajando ao redor do mundo em busca de sua recuperação pessoal.

 

Foto: Arquivo pessoal de Angélica Castelhano

Meu Bem

|


Bem
Tô vendo que você chegou
Bem
Não era mesmo pra avisar
Bem
Ninguém pode querer
Querer adivinhar
Que o amor já vai chegar
E te chamar meu bem

Bem
Não sei como você pintou
Bem
Eu sempre quis imaginar
Bem
Até te desenhei
Eu juro que sonhei
Sonhei você assim
Sonhei você pra mim

Ai!
Eu não sei
Diz pra mim
Somos dois
Nós assim?

Bem
Tem tanta coisa pra fazer
Bem
Tem tanto tempo pra passar
Bem
Agora é só brincar
Brincar de namorar
Gostar de se dizer
E se chamar
Meu bem.

*Artista: Jairzinho e Simony
*Composição: W.Charf/D.Black/Edgard B. Poças
*Foto: Internet

SHOW EM PROL DAS VÍTIMAS DOS ALAGAMENTOS NO NORDESTE

|

Artistas de todo o Brasil, sensibilizados com a tragédia no Nordeste, realizarão no próximo dia 14 de julho (quarta-feira) um show em prol das vítimas dos alagamentos em Pernambuco e Alagoas.

Sob o título de “Nós pelo Nordeste”, o evento que acontece no Comitê em São Paulo é uma iniciativa de Ale Youssef, Biba Berjeaut — da distribuidora ôLôko Records — e Daniel Ganjaman.

O show contará com uma das formações flutuantes do Instituto como banda base, e já estão confirmadas as participações de DJ Zegon (N.A.S.A.), Pupillo (Nação Zumbi), Edgard Scandurra, Fernando Catatau (Cidadão Instigado), Otto, Kamau, Emicida, Karina Buhr, Curumin, Pitty, Anelis Assumpção e Junio Barreto. Toda renda arrecadada com ingressos será revertida para a causa.


Nós pelo Nordeste
COMITÊ - Rua Augusta, 609 - São Paulo.
Ingressos R$ 25,00 www.ingressorapido.com.br
Aceita todos os cartões: Master/ Diners / Visa / Visa Electron / Amex / Rede Shop. Aceita cheque.
Abertura da casa às 22h, início do show às 0h.
Fechamento da cozinha 3h.
Informações [11] 3237-3068 - 3237-3068

Millör Fernandes no Fórum de Artes Cênicas

|


O Fórum de Artes Cênicas, em parceria com a Secretaria de Cultura e a Fundação de Arte (FAN), promove a leitura da peça "Computa, computador, computa" de Millör Fernandes, com direção de Ricardo Sanfer, no dia 26 de julho, às 19h, no Salão Nobre do Teatro Municipal.

"Peça? Brincadeira? Um show? Uma tragédia grega? Uma coisa sem sexo nem nexo? Apenas piada? Escuta: você já tentou fazer uma piada? Um drama grandilouquete e shakesperiano ao mesmo tempo despojado e heróico?

Uma comédia de costumes? Maus costumes? Uma ópera? Commedia dell arte? Uma chanchada? Um valdeville? Gostequiere? Um auto? Um ônibus? Uma digressão moral, mas sem fé e sem misericórdia? Entendeu tudo e não entendeu nada? Original a pampas ou velho paca? Um lever de rideau? Como, se não há mais rideu para lever? E entretanto, anteato, um estremez? Antiato? Antiteatro? Ah, uma farsa! Um simples salto mortal, circo, um mimo, um farsalhão, uma pantomima, uma burleta. Oi, quem te disse? Hei, quem te revelou? Era top-secret, bicho. Um melodrama/m strip-tease intelectual? História sem quadrinhos? Fumetti? Silhuetas, isto é, sombras chinesas? Você viu, notou? Será apenas um prólogo ou já contém o epílogo? Um monólogo, um duólogo, um mistério?A tria de uma trilogia? Já sei - um devertissement. Digestivo, é. Ou indigesto? Uma arlequinada, uma fantochada, uma palhaçada? No mezzanino do urdimento o franca-tripa funambulesco bufoneia impávido e desbunda solerte.”

Leitura Dramatizada – Salão Nobre
Data: 26 de julho
Horário: 19hCapacidade: 90 lugares
ENTRADA FRANCA (DISTRIBUIÇÃO DE 90 SENHAS MEIA HORA ANTES DE CADA ESPETÁCULO)Local: Teatro Municipal de Niterói – Salão Nobre
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro
Tel.: (21) 2620-1624

Foto: Divulgação

MARCADO PELA DOR, SUSTENTADO PELO AMOR

12 julho 2010 |


Frente às lutas que ora surgem, alguém pode se sentir enfraquecido, vulnerável às forças contrárias e, como uma palha ao vento, percorre distâncias sem nem ao menos ser consultada se aceita viajar. Certas ocasiões na vida não pedem opinião, não expedem comunicados... Emitem suas ordens e ai de que não obedecer! O “siga-me” é uma ordenança que leva ao calvário. Não dá para fugir de situações assim. Alguns ainda pensam que a morte resolveria tudo. Se aqui na terra onde contemplamos tudo e vivenciamos os problemas, mesmo assim padecemos, quem garante que do outro lado também não haverá contratempos? É melhor ficar aqui e cumprir a missão, passar pelo sacrifício e, num gesto corajoso, buscar melhorias. Mesmo que a fé de uns digam isso ou aquilo, é melhor ficar cada com a fé que tem; a esperança que conserva no peito e as certezas do mundo espiritual que já experienciou. Isso é muito particular. Nada nem ninguém têm o direito de interferir ou confundir. É algo inerente ao homem, não tem jeito.

Ei! Levante a cabeça! Olhe para o alto. Observe a grandeza do céu, o fulgor do sol, o brilho intenso das estrelas, a luminosidade da lua, o charme da natureza. Nada disso é em vão. Tudo quer lhe dizer algo, trazer respostas às suas indagações e provar que existe um tempo a ser decorrido para suas bênçãos chegar. Embora, “marcado pela dor”, você também é “sustentado pelo amor” de Deus e de pessoas que torcem pelo seu sucesso. Não desanime, ainda há vida, sorria! Exatamente neste momento há muita gente nesse mundo passando por sofrimentos bem maiores que os seus e, no entanto, urgem por viver. Só em estar de pé prova que você é um vencedor. Apenas acredite.

Assim me sinto sem você

|


Um arco-íris sem a cor
Um marinheiro sem o mar
Eu sei,
Não sou ninguém sem o teu amor
Não tenho asas pra voar.
Como um jardim que não tem flor,
Como um dia sem calor
Eu fico triste sem voce
Como um mais que não é dois,
Como um agora sem depois,
Eu não existo sem voce
São sete notas sem canção
Sou noite escura sem luar,
Por quê,
Sem ter voce no coração
Não tenho como respirar.
Como uma chama que apagou
Como um rio que secou,
Assim me sinto sem voce
Como as estrelas sem o céu,
Como as abelhas sem o mel,
Eu fico triste sem voce
Meu amor
Meu coração sempre será todo seu
Só voce, me traz a paz,
Me faz feliz demais,
Demais!

*Artista: Mara Maravilha
*Foto: Internet

Nasi estreia turnê 'Vivo na Cena' em São Paulo

|


Projeto produzido pelo lendário Roy Cicala chega aos palcos registrando os melhores momentos da carreira do cantor

Em seu DVD "Vivo na Cena" Nasi dá uma verdadeira aula de rock and roll e suas vertentes. É mais do que um simples DVD gravado ao vivo no estúdio, é um workshop musical, deveria ser instituído como matéria obrigatória nas escolas de música. Essas crianças de hoje deslumbradas com o pop "coxinha" (como ele mesmo descreve no DVD) deveriam todos assistirem esse DVD, pra pelo menos terem uma noção de como se faz rock and roll.

No DVD, além das 17 músicas apresentadas, encontramos nos "extras" uma biografia comentada de toda carreira do Nasi. Fotos e ainda depoimentos dele mesmo num faixa a faixa de "Vivo Na Cena".

Um super time de músicos acompanham Nasi em "Vivo Na cena" e são sua banda de apoio: Johnny Boy ‐ um multi-instrumentista do rock brasileiro, trabalhou com Marcelo Nova , gravou com Raul Seixas e fez parte do Nasi e os Irmãos do Blues. André Youssef – tecladista, fera da cena do blues brasileiro. Nivaldo Campopiano – um dos melhores guitarristas brasileiros. Na década de 80 fez parte do Muzak. Evaristo Pádua – excelente baterista influenciado por mestres como Ginger Baker , John Bonham e Keith Moon , acho que não preciso dizer mais nada!

A gravação / mix ficou por conta do lendário Roy Cicala (que tem um dos mais invejáveis currículos da história do rock, John Lennon,Bruce Springsteen,David Bowie, Patti Smith,Aerosmith e mais uma invejável lista de rock stars) e sócio do Record Plant de NY.

Nasi registrou os melhores momentos de sua carreira nesse DVD, (Ira!, Voluntários da Pátria e Irmãos do Blues) resgatou perolas da musica popular (Raul Seixas, João Bosco e Zé Rodrix) o pós punk dos 80 (Voluntários, Muzak e Picassos Falsos) deu voz a nova geração ( Eddie, The River Raid, Fred 04 e Ludov ). Incluiu também canções inéditas e fez desse trabalho um dos mais incríveis feitos por alguém da minha geração. Como eu disse no começo uma aula de rock and roll.

COMITÊ - Rua Augusta, 609 - São Paulo
Nasi: lançamento de Vivo na Cena
16 de julho de 2010
Abertura da casa às 22h, início do show às 0h.
Ingressos: R$ 30,00
www.ingressorapido.com.br
Aceita todos os cartões: Master/ Diners / Visa / Visa Electron / Amex / Rede Shop. Aceita cheque.
Fechamento da cozinha 3h.
Informações [11] 3237-3068 - 3237-3068

Foto: Divulgação

Não dá pra parar a música

09 julho 2010 |


Brinca no compasso
Dança no teu passo
Anda pela rua,
Terra, sol e lua
Ritmo que está
Aqui, agora, lá
Todo momento não pode parar

Jeito de falar
tempo que passar
Ritmo, magia
Diz a melodia
Solta pelo ar
Em qualquer lugar
Música pro mundo girar

Sim, é mesmo incrível
A música é invencível
Pra cantar o amor
Espantar a dor
De verdade amor
A felicidade
Sim, é mesmo incrível
A música é invencível
Toda emoção, pura sensação
Viva voz no coração

Música no céu
Música no mar
A maré na areia
Ritmo na veia
Ritmo de ser
Mesmo sem querer
Melodia bonita de viver
Ritmo do som
Ritmo da luz
Mostra a tua força
Canta a tua força
Música, canção
Oração no ar
Música pro mundo girar

*Artista: A Turma do Balão Mágico com a participação especial do grupo Metrô
*Na foto em destaque, Simony, uma das integrantes do grupo infantil nos anos 80
*Foto: Internet